Em nota, governo de SP pede desculpa à família de Eloá

SÃO PAULO - O governo do Estado de São Paulo, por meio da assessoria de imprensa, divulgou uma nota na noite desta sexta-feira com pedido de desculpas à família da adolescente Eloá, que durante 4 dias foi mantida refém pelo ex-namorado em Santo André (SP), por ter divulgado informação errada sobre o estado de saúde da jovem. O governo paulista chegou a anunciar que Eloá tinha morrido, mas depois voltou atrás, dizendo que ela estava em estado grave. A nota foi divulgada por volta das 20h40.

Agência Estado |

De acordo com a nota, a assessoria de imprensa do governo do Estado alega que "chegou a receber a informação, da área da Segurança Pública, sobre o falecimento da jovem Eloá". Em seguida, segundo a assessoria, uma nova informação "deu conta de que, felizmente, ela foi reanimada na sala de cirurgia e, neste momento, encontra-se em coma induzido e processo cirúrgico. Pedimos desculpas à família de Eloá e, junto a ela, oramos a Deus por sua recuperação".

O caso teve início na tarde de segunda. Inconformado com o fim do relacionamento com Eloá, Lindembergue, de 22 anos, invadiu o apartamento do Conjunto Habitacional de Santo André. Além da ex-namorada, estavam no imóvel Nayara, de 15 anos, e mais dois garotos. Os meninos foram libertados pouco depois da invasão. Lindembergue autorizou a saída de Nayara no fim da noite de terça, mas, na manhã de quinta-feira, ela voltou ao cativeiro. O retorno teria sido permitido pela polícia como parte da estratégia de negociações.

    Leia tudo sobre: eloá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG