Em nota, DEM pede que Edmar Moreira renuncie a cargo da corregedoria da Câmara

BRASÍLIA - O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), divulgou nota à imprensa pedindo que o 2º Vice-Presidente da Câmara, que acumula o cargo de corregedor, deputado Edmar Moreira (DEM-MG), renuncie ao cargo. De acordo com o documento, as recentes declarações do parlamentar, defendendo a extinção do Conselho de Ética, e a reveleção de um castelo em nome de seu filho, na Zona da Mata Mineira, vão deixar em suspeição qualquer decisão tomada pelo corregedor.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

"Somadas suas últimas atitudes às denúncias de contradição nas informações de sua declaração de bens, o Democratas considera, por outro lado, que quaisquer decisões, mesmo que corretas, tomadas pelo referido deputado, no exercício de suas funções [de corregedor] serão sempre eivadas de suspeição", diz o texto.

AE

Vista aérea do castelo construído em São João do Nepomuceno

Após o trecho, Maia recomenda a renúncia imediata de Edmar do cargo de 2º Vice-Presidente e diz que as notícias divulgadas pela imprensa, tanto sobre a não declaração do castelo à justiça eleitoral como seu patrimônio, quanto uma suposta dívida com o INSS de sua empresa de segurança com sede em São Paulo, vão ser levadas à Comissão de Ética do partido, que pode até mesmo pedir a expulsão do deputado da legenda.

"Com relação às denúncias divulgadas pela imprensa, o partido as remeterá imediatamente à sua Comissão de Ética, para que, o mais brevemente possível e concedido o amplo direito de defesa conforme ritos estabelecidos estatutariamente, seja tomada uma decisão final".

"Renunciar por quê?"

No final da manhã desta quinta-feira, o deputado Edmar Moreira disse que não pretende renúnciar da 2ª Vice-Presidência da Câmara. De acordo com ele, todas as suspeições que pesam sobre ele vão ser esclarecidas brevemente.

Leia mais sobre: deputados

    Leia tudo sobre: dem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG