Em nota, Arruda diz ser inocente e confiar na Justiça

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), e o vice, Paulo Octávio, manifestaram-se neste domingo, dois dias depois de deflagrada pela Polícia Federal, com a autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a Operação Caixa de Pandora. Na nota, eles dizem que Durval Barbosa, ex-diretor de Relações Institucionais do Distrito Federal, agiu de forma capciosa e premeditada para prejudicá-los com uma versão mentirosa dos fatos para tentar manchar o trabalho sério e bem sucedido que tem sido feito pela nossa administração.

iG São Paulo |

Assista ao vídeo obtido pelo iG:

"Estamos tranquilos, porque sabemos de nossa inocência, e confiamos no sereno e isento trabalho da Justiça de nosso País, onde a verdade sempre acaba se afirmando", dizem.

Vídeos

Ontem, a reportagem do iG teve acesso em primeira mão ao vídeo que mostra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, recebendo dinheiro de suposta propina em esquema de corrupção montado dentro do governo.

As imagens não são conclusivas sobre o destino do dinheiro. Ele tanto poderia ter ficado com o governador, quanto ter sido repassado a parlamentares da chamada "base aliada".

No vídeo, Arruda diz ""Eu estou achando que podia passar em casa para deixar isso aqui. Descer com isso aqui é 'mala'".

Gravada pelo então secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, a fita anexada ao inquérito da Polícia Federal desencadeou a Operação Caixa de Pandora na última sexta, que resultou no cumprimento de 29 mandados de busca e apreensão em gabinetes de órgãos públicos, residências e empresas em três cidades.

O esquema de corrupção mostrado no vídeo, de acordo com o inquérito, começou nas eleições de 2006, quando Durval trabalhava no governo Roriz, e seguiu durante todo governo Arruda.

Há pelo menos três meses, o vídeo vem sendo usado para todo tipo de chantagem dentro do alto escalão do governo Arruda. Durval queria o fim de uma gama de processos contra ele na Justiça. A fita entregue ao iG na tarde deste sábado, 28, vinha sendo guardada em uma cidade próxima a Brasília. Representa o golpe mais violento contra a trajetória política de duas décadas de Arruda, que, em 2001, renunciou ao mandato de senador, acusado de violar o painel do Senado.

(Com Agência Estado)

Leia também:

Leia mais sobre Distrito Federal

    Leia tudo sobre: arruda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG