Em nota, Anac diz que não recebeu laudo do acidente

Em nota oficial, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirmou hoje que não teve acesso ao laudo do Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo que apontou falhas da agência no episódio que vitimou 199 pessoas em julho de 2007, no acidente com o Airbus A320 da TAM, no Aeroporto de Congonhas. Por isso, a Anac não tem condições de comentar o referido laudo, declarou a agência, que disse ter sido informada sobre o laudo apenas através do noticiário da imprensa.

Agência Estado |

O comunicado oficial da Anac foi divulgado após o superintendente de Infra-Estrutura Aeroportuária da agência, Anderson Ribeiro Correia, ter contestado em São Paulo o laudo e defendido o órgão. Correia afirmou que a agência possui seus critérios e regras para a segurança nos aeroportos e elas foram cumpridas pelo Aeroporto de Congonhas antes do acidente da TAM. "As regulamentações da agência foram seguidas por Congonhas antes do acidente. Os critérios da pista foram atendidos", frisou Correia.

Na nota enviada hoje, a Anac diz: "Quaisquer manifestações públicas de servidores da Anac sobre o caso representam apenas opinião pessoal e não expressam a posição da agência". A agência acrescentou que o acidente no Aeroporto de Congonhas continua sendo investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da Aeronáutica, autoridade do Sistema de Aviação Civil brasileiro responsável pela investigação de acidentes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG