Em menos de seis meses, aumento na frota de SP deve compensar rodízio de caminhões

SÃO PAULO - A Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo promete retirar 20% da frota de caminhões de circulação com a ampliação do rodízio municipal de veículos para os caminhões, mas os números do crescimento da frota paulistana apresentados pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran) mostram que a tarefa será quase impossível.

Amanda Demetrio - Último Segundo |

Se seguida a tendência mostrada pelo Detran, o aumento de veículos (motos, ônibus, caminhonetes, automóveis, caminhões, ônibus, reboques e outros) em São Paulo deve compensar esta possível redução em menos de seis meses. Segundo o órgão, somente de janeiro a julho deste ano, a frota total da cidade aumentou em 239.148 veículos. Confira os números do Detran sobre o total de caminhões na cidade:

Frota de Janeiro Frota de Julho Aumento
158.865 163.523 4.658

O rodízio quer diminuir em 20% a frota de julho, ou seja, 32.705 caminhões. O resultado é que, se seguida a tendência apontada pelos números do Detran, a redução de mais de 32 mil caminhões deverá ser compensada em menos de seis meses pelo aumento total da frota paulistana.

Patrícia Santos/AE
AE
Fiscalização do rodízio de caminhões
Se for considerado apenas o aumento de caminhões ¿ sem contar que grande parte das entregas vem de outros Estados ¿ a promessa de redução seria compensada em pouco mais de sete meses, já que a tendência é de que a frota aumente em 4.658 veículos por semestre.

Para o Sindicato das Empresas Transportadoras de Cargas de São Paulo e Região (Setcesp), além de não melhorar o trânsito, o consumidor vai pagar mais caro por causa da medida. Segundo o Setcesp, aumentou em 44% o custo operacional do transporte de cargas, que inclui, entre outros, a contratação de autônomos com carros de placas que podem circular, a compra de mini-vans e a entrega noturna. Este valor, de acordo com o sindicato, é repassado no custo final frete, que aumentou em média 15%.

Procurada pelo Último Segundo, a Secretaria de Transportes da cidade de São Paulo informou que as medidas tomadas para restrição de circulação de caminhões são apenas para contensão de danos enquanto se aguarda a conclusão do trecho do Anel Viário, prevista para 2010, que deve retirar da cidade os caminhões que estão apenas de passagem. Segundo a nota divulgada, com as medidas adotadas desde julho a cidade voltou aos índices de lentidão de 2 a 3 anos atrás.

Os números divulgados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) mostram que houve sim uma redução, mesmo que pequena, nos picos de lentidão da capital. Não podemos nos esquecer que fatores como as chuvas e carros quebrados contribuem para as lentidões, mas, na penúltima semana, apenas a segunda-feira teve uma piora nos picos de congestionamento, com um aumento de 11% se comparado com as médias das segundas-feiras de 2007.

Automóveis

Apesar dos holofotes estarem em cima dos caminhões, os veículos que mais contribuem para este aumento da frota são os automóveis, que, só nos últimos seis meses, aumentaram em 143.042 na cidade. Em todo o Estado de São Paulo, o número é ainda maior, são 407.981 carros novos circulando desde janeiro.

Leia também:

Leia mais sobre: caminhões

    Leia tudo sobre: caminhãorodízio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG