Em menos de 24h, polícia realiza 3 perícias na casa da família morta a facadas no DF

Brasília - A delegada do 1º Distrito Policial, Martha Vargas, afirmou neste sábado que, entre ontem e hoje, a equipe policial sob seu comando realizou três perícias no apartamento onde foram assassinados o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), José Guilherme Villela, a mulher dele e a empregada da família.

Camila Campanerut, repórter em Brasília |

Familiares e vizinhos já prestaram depoimentos e, segundo a delegada, podem voltar a ser chamados se houver necessidade. Na noite desta sexta-feira, uma testemunha encapuzada acompanhou os oficiais em uma das perícias cumpridas no local. 

As vítimas foram encontradas pela neta de Vilela na última segunda-feira (31). Todas foram mortas a facadas. A investigação do crime está sendo feita sob esquema de sigiloso para evitar que a divulgação de notícias atrapalhe o trabalho policial.

De 1980 a 1986, o advogado José Guilherme Villela foi ministro do Tribunal Superior Eleitoral. Entre os clientes famosos, ele defendeu o ex-governador de São Paulo, Paulo Maluf; o ex-ministro da Fazenda, Delfim Netto, os ex-presidentes Juscelino Kubitschek e Fernando Collor (durante o processo de impeachment em 1992) e o presidente do Senado Federal, José Sarney.

Leia mais sobre: assassinato

    Leia tudo sobre: assassinatoministrotse

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG