Em Maceió, Aécio cobra explicações sobre o apagão

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, disse hoje, em Maceió, que a falta de comunicação e a quantidade excessiva de órgãos que gerenciam o sistema elétrico brasileiro fizeram com que o governo federal não apresentasse uma explicação convincente à sociedade brasileira sobre o apagão que atingiu 18 Estados na semana passada. Tenho tido um cuidado muito grande de não politizar este tema.

Agência Estado |

Acho que não devemos retirar o apagão da sua circunstância e levá-lo ao palanque eleitoral. Mas a maior falha do governo foi na comunicação do problema. Houve um açodamento muito grande do governo querendo dar explicações, sem ter a serenidade adequada para enfrentar o problema e a sua complexidade", ponderou Aécio.

O governador mineiro reclamou ainda que os gastos correntes do governo federal cresceram 80% nos últimos sete anos, enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu apenas 27% nesse período. "É uma conta que não fecha. O Estado tem que ser eficiente. Acho que o PSDB demonstrou conhecer melhor do que o PT as funções do Estado e onde nós governamos, temos governado bem", afirmou Aécio, durante entrevista coletiva em Maceió, onde no último domingo foi condecorado pelo governo do Estado com a medalha do Mérito da República Deodoro da Fonseca.

Sucessão

Aécio defendeu hoje pressa na definição do candidato tucano à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "O ideal é que essa candidatura seja definida ainda este ano ou no mais tardar até janeiro do ano que vem. Só não podemos esperar até março para que esse quadro seja definido", afirmou Aécio.

Aécio esteve reunido com parlamentares, prefeitos e lideranças do PSDB em Alagoas. O tucano falou como candidato e disse que apesar de ter uma boa posição nas pesquisas, é preciso que o partido observe também quem reúne maiores condições de atrair alianças na luta pela sucessão de Lula.

"Nem sempre o fato de estar à frente das pesquisas quer dizer tudo. É importante também que o partido observe qual o candidato que agrega um maior leque de apoios e alianças", destacou.

Para ele, um apoio importante e que está sendo tentado é do ex-ministro e deputado federal Ciro Gomes (PSB/CE). "Tenho muita aproximação com o Ciro, vou me encontrar com ele esta semana e fazer o convite para que ele marche conosco nessa luta rumo à Presidência", afirmou Aécio, reconhecendo que o único empecilho nesse caso é o fato de Ciro também pleitear a sucessão de Lula.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG