Em jogo ruim, Paulo Baier faz três e Goiás bate Botafogo

Em uma partida que não valia nada para ambas as equipes, o Goiás teve mais determinação para vencer o Botafogo por 3 a 1 neste domingo, em Itumbiara. Punido pela confusão no jogo contra o Cruzeiro, no Serra Dourada, o time goiano teve que atuar no Estádio Juscelino Kubitschek, que fica a mais de 200 km de Goiânia.

Agência Estado |

O resultado não mudou a condição de ambos os times no Brasileirão. As equipes continuam sem chances de conquistar uma vaga na Libertadores, e seguem bem posicionadas para confirmar a classificação à Copa Sul-Americana de 2009. O Goiás agora soma 51 pontos, enquanto o Botafogo permanece com 49.

Pela próxima rodada, o Goiás viaja a São Paulo para enfrentar a Portuguesa, no Canindé, no sábado. No mesmo dia, o Botafogo recebe o Atlético-PR no Engenhão. Ambos os adversários brigam contra o rebaixamento à Série B.

Em um jogo de times sem pretensões no Brasileirão, o confronto em Itumbiara começou morno. O forte calor também ajudou a deixar as duas equipes lentas em campo. Com o ritmo fraco da partida, o Goiás aproveitava para ficar mais com a posse de bola e chegar ao gol do Botafogo trocando passes.

Mesmo assim, aos cinco minutos o time carioca perdeu boa chance de abrir o marcador. Jorge Henrique recebeu lançamento na frente e a zaga do Goiás parou pedindo o impedimento inexistente. O atacante, porém, teve dificuldade para armar o chute e acabou rolando atrás para Triguinho, que chegava livre. O lateral do Botafogo pegou muito embaixo no arremate, fazendo a bola sair por cima do gol.

Melhor em campo, o Goiás não demorou para fazer o primeiro. Aos oito minutos, Júlio César fez um cruzamento milimétrico para Paulo Baier, que pegou de primeira e mandou a bola entre as pernas do goleiro Renan. Após o gol, o time goiano seguiu dominando a partida.

O fato de o Botafogo não ter objetivos na competição, e ainda passar por problemas financeiros, que têm provocado o atraso no pagamento dos salários aos jogadores, parecia influenciar no rendimento do time em campo. Desmotivada, a equipe só melhorou na metade do segundo tempo, quando Lucas Silva obrigou o goleiro Harlei a fazer uma boa saída para evitar o gol.

Após o lance, o Botafogo não ameaçou mais o Goiás e as recorrentes falhas no sistema defensivo davam chances para o time anfitrião aumentar a vantagem. Aos 23 e aos 24 minutos, o goleiro Renan evitou o segundo da equipe goiana em duas oportunidades, em conclusões de Iarley e Romerito.

Quando o cronômetro passava dos 30 minutos em Itumbiara, o árbitro Paulo Cesar Oliveira decidiu paralisar a partida por causa do forte calor, que beirava os 37 graus na cidade goiana. Na volta, o Goiás mostrou mais determinação e chegou ao segundo gol.

Nem a temperatura elevada impediu o experiente Paulo Baier, de 34 anos, de receber o lançamento em velocidade e avançar em direção à área do Botafogo. Aos 36 minutos, o meia mostrou tranqüilidade para tocar de esquerda na saída de Renan e marcar o seu segundo na partida, fazendo 2 a 0.

No segundo tempo, o técnico Ney Franco tentou deixar sua equipe mais ofensiva com a entrada do atacante Zárate no lugar do volante Diguinho. A modificação parecia que ajudaria o Botafogo a buscar o empate quando logo no primeiro minuto o argentino sofreu pênalti na entrada do zagueiro Rafael Marques.

Mas Lucio Flavio foi para a cobrança e mandou na trave, com a bola ainda saindo à linha de fundo. A penalidade perdida desanimou de vez o Botafogo, que não demonstrava sinais de reação. O Goiás aproveitava a apatia e esperava pelo melhor momento de tentar o terceiro.

A expulsão de Andre Luis, aos 25 minutos, facilitou as coisas para o time goiano. O zagueiro, que é conhecido pelo seu temperamento explosivo, deu uma entrada dura em Vítor e recebeu o vermelho direto. O Goiás então se aproveitou da vantagem numérica e fez 3 a 0.

Aos 27 minutos, novamente Paulo Baier marcou para os anfitriões. O meia percebeu a marcação frouxa do Botafogo e decidiu arriscar de fora da área, acertando um chute rasteiro no canto, que Renan não conseguiu alcançar.

A vitória praticamente certa do Goiás não impediu o Botafogo de chegar ao primeiro gol. Paulo Cesar Oliveira viu um pênalti duvidoso na chegada de Fahel em Túlio Souza. Lucio Flavio foi para cobrança de novo e desta vez marcou, batendo no mesmo canto da penalidade perdida, aos 33 minutos.

Ainda antes do gol botafoguense, o time carioca havia ficado com nove jogadores em campo, graças à expulsão de Túlio. O volante, que já tinha o cartão amarelo, deu uma entrada violenta por trás e também recebeu o vermelho direto. Com dois a menos, nem o gol foi suficiente para que o Botafogo ameaçasse a vitória do Goiás nos minutos finais.

Ficha Técnica:

Goiás 3 x 1 Botafogo

Goiás - Harlei; Henrique, Ernando e Rafael Marques (João Paulo); Vítor, Fahel, Ramalho, Romerito (Fausto), Paulo Baier e Júlio César; Iarley (Felipe). Técnico: Hélio dos Anjos.

Botafogo - Renan; Túlio, Renato Silva (Emerson), Andre Luis e Triguinho; Leandro Guerreiro, Diguinho (Zárate), Lucas Silva e Lucio Flavio; Jorge Henrique e Fábio (Túlio Souza). Técnico: Ney Franco.

Gols - Paulo Baier, aos 8 e aos 36 minutos do primeiro tempo; Paulo Baier, aos 27, e Lucio Flávio (de pênalti), aos 33 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Fahel e Ramalho (Goiás); Triguinho, Diguinho, Jorge Henrique e Túlio (Botafogo).

Cartões vermelhos - Andre Luis e Túlio (Botafogo).

Árbitro - Paulo Cesar Oliveira (Fifa-SP).

Renda e público - Não disponíveis.

Local - Estádio Juscelino Kubitschek, em Itumbiara (GO).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG