SÃO PAULO (Reuters) - A inauguração do Hospital Municipal do MBoi Mirim nesta terça-feira, em bairro carente da zona sul da capital paulista, se transformou em uma demonstração a favor da parceria entre PSDB e DEM pelo governador paulista José Serra (PSDB) e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM). Enquanto Serra vem atuando para que o PSDB apóie a candidatura de Kassab à prefeitura paulistana, outra ala de tucanos defende o nome de Geraldo Alckmin, o que inclui o presidente da legenda, senador Sérgio Guerra.

'Hoje é um dia histórico. Quem está aqui vai sempre se lembrar desta inauguração', disse Serra, que iniciou a obra do hospital quando ainda estava à frente da prefeitura.

Kassab, ex-vice de Serra, defendeu a continuidade da administração. 'O importante é que a cidade tenha oportunidade de ter à sua frente uma administração com os mesmos objetivos e que a gente possa manter a aliança.' Ele disse que a decisão sobre a candidatura deve sair em maio.

Mesmo ao comentar recente pesquisa sobre avaliação positiva de sua gestão, Kassab não deixou de mencionar o aliado Serra.

'A avaliação do governo eu divido com a equipe e com o governador Serra, prefeito em um primeiro momento.'

'Tenho vontade de continuar na prefeitura, mas não farei da vontade pessoal um projeto político', acrescentou Kassab. O prefeito disse ainda que não se sente irritado com pressões de alckmistas e afirmou que não tem discutido o tema.

O prefeito reconheceu que a inauguração do hospital, com 240 leitos, 'teve clima de festa'. O investimento de 105 milhões de reais foi feito pela União, Estado e município.

Alckmin está em Brasília nesta terça-feira, onde pedirá apoio a parlamentares tucanos.

'O governador Geraldo Alckmin não está pressionando a direção do partido, porque a direção do partido está em total e absoluta integração com o doutor Geraldo Alckmin', disse Sérgio Guerra na segunda-feira à noite.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.