Tamanho do texto

"Espero que a profecia que diz que a voz do povo é a voz de Deus esteja correta", disse o presidente

Durante a inauguração de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no complexo de favelas de Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ouviu da plateia gritos de apoio ao terceiro mandato e à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, candidata à sucessão do presidente em 2010. O público, formado por cerca de mil moradores da comunidade, entoou coros de "Fica, fica, fica (Lula)" e "Dilma, Dilma, Dilma".

Lula bate pênalti em gol defendido pelo governador do Rio, Sérgio Cabral
Divulgação
Lula bate pênalti em gol defendido pelo governador do Rio, Sérgio Cabral

Em seu discurso, Lula brincou com o governador do Rio, Sérgio Cabral, dizendo que ele é um bom gestor, mas que pede muitas verbas. O presidente afirmou que quando Cabral aparece em Brasília ele "se esconde" e pede para avisar aos assessores do governador que só irá aparecer na capital federal para entregar a faixa de presidente ao seu sucessor. Ao dizer isso, os presentes na cerimônia começaram a gritar o nome de Dilma. "Espero que a profecia que diz que a voz do povo é a voz de Deus esteja correta".

Lula inaugurou no ínicio da tarde desta sexta-feira, em Manguinhos, uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) 24 horas e um complexo esportivo em uma área anexa ao antigo prédio da Divisão de Suprimentos do Exército (Dsup), onde hoje está instalado um colégio estadual. O complexo esportivo conta com um ginásio coberto com quadra poliesportiva e arquibancada para 300 espectadores, uma piscina semiolímplica, outra infantil e vestiários.

Já a UPA de Manguinhos é a maior entre as construídas no Estado do Rio, com 2400 m2. A unidade médica possui 26 leitos, um ambulatório com 10 consultórios e tem capacidade para atender a 450 pacientes por dia, inclusive aos finais de semana.

Lula abraça Sérgio Cabral após cobrança de pênalti em quadra em Manguinhos
AE
Lula abraça Sérgio Cabral após cobrança de pênalti em quadra em Manguinhos

"O que estamos mostrando aqui é que este País pode ser diferente se a gente aprender a não eleger mais vigaristas. Se a gente aprender a eleger pessoas que tenham compromisso com o povo", disse Lula. Segundo o governo, as obras do PAC no complexo de Manguinhos estão orçadas em R$ 232 milhões, entre verbas federais e do tesouro estadual.

Pela manhã, o presidente Lula inaugurou, ainda em Manguinhos, o Centro Vocacional Tecnológico em uma área de 3200 m2, onde até 2003 funcionava uma gráfica dos Correios. A unidade de ensino vai contar com cerca de 2.400 alunos em 17 cursos profissionalizantes nas áreas de Tecnologia da Informação e Construção Civil. Ao todo, o centro possui 15 laboratórios, sete salas de aula, uma sala multimídia e uma biblioteca vocacional.

Para o presidente, as obras inauguradas irão trazer prosperidade para a região de Manguinhos, a primeira contemplada pelo PAC no Rio de Janeiro. "Esse lugar aqui, para vocês terem ideia, era tão mal falado, tinha uma fama tão ruim, que até o Exército foi embora daqui", disse Lula, referindo-se ao Dsup.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.