Em inauguração com Lula no Rio, público pede Dilma ou terceiro mandato

"Espero que a profecia que diz que a voz do povo é a voz de Deus esteja correta", disse o presidente

Anderson Dezan, repórter do Último Segundo no Rio |

Durante a inauguração de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no complexo de favelas de Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ouviu da plateia gritos de apoio ao terceiro mandato e à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, candidata à sucessão do presidente em 2010. O público, formado por cerca de mil moradores da comunidade, entoou coros de "Fica, fica, fica (Lula)" e "Dilma, Dilma, Dilma".

Divulgação
Lula bate pênalti em gol defendido pelo governador do Rio, Sérgio Cabral

Em seu discurso, Lula brincou com o governador do Rio, Sérgio Cabral, dizendo que ele é um bom gestor, mas que pede muitas verbas. O presidente afirmou que quando Cabral aparece em Brasília ele "se esconde" e pede para avisar aos assessores do governador que só irá aparecer na capital federal para entregar a faixa de presidente ao seu sucessor. Ao dizer isso, os presentes na cerimônia começaram a gritar o nome de Dilma. "Espero que a profecia que diz que a voz do povo é a voz de Deus esteja correta".

Lula inaugurou no ínicio da tarde desta sexta-feira, em Manguinhos, uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) 24 horas e um complexo esportivo em uma área anexa ao antigo prédio da Divisão de Suprimentos do Exército (Dsup), onde hoje está instalado um colégio estadual. O complexo esportivo conta com um ginásio coberto com quadra poliesportiva e arquibancada para 300 espectadores, uma piscina semiolímplica, outra infantil e vestiários.

Já a UPA de Manguinhos é a maior entre as construídas no Estado do Rio, com 2400 m2. A unidade médica possui 26 leitos, um ambulatório com 10 consultórios e tem capacidade para atender a 450 pacientes por dia, inclusive aos finais de semana.

AE
Lula abraça Sérgio Cabral após cobrança de pênalti em quadra em Manguinhos

"O que estamos mostrando aqui é que este País pode ser diferente se a gente aprender a não eleger mais vigaristas. Se a gente aprender a eleger pessoas que tenham compromisso com o povo", disse Lula. Segundo o governo, as obras do PAC no complexo de Manguinhos estão orçadas em R$ 232 milhões, entre verbas federais e do tesouro estadual.

Pela manhã, o presidente Lula inaugurou, ainda em Manguinhos, o Centro Vocacional Tecnológico em uma área de 3200 m2, onde até 2003 funcionava uma gráfica dos Correios. A unidade de ensino vai contar com cerca de 2.400 alunos em 17 cursos profissionalizantes nas áreas de Tecnologia da Informação e Construção Civil. Ao todo, o centro possui 15 laboratórios, sete salas de aula, uma sala multimídia e uma biblioteca vocacional.

Para o presidente, as obras inauguradas irão trazer prosperidade para a região de Manguinhos, a primeira contemplada pelo PAC no Rio de Janeiro. "Esse lugar aqui, para vocês terem ideia, era tão mal falado, tinha uma fama tão ruim, que até o Exército foi embora daqui", disse Lula, referindo-se ao Dsup.

    Leia tudo sobre: LulaPACDilma RousseffSérgio Cabral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG