Em Fórum Social, Tarso Genro defende nova política de drogas

Ao discursar para centenas de jovens no Fórum Social Mundial, o ministro da Justiça, Tarso Genro, defendeu ¿uma nova política de drogas¿. O debate foi feito em Novo Hamburgo, a 40 quilômetros da capital, onde será realizada nesta tarde, a Marcha da Maconha.

iG São Paulo |

AE
Tarso Genro participa de debate no Acampamento Intercontinental da Juventude durante o Fórum Social Mundial

Tarso participa de debate no Fórum Social Mundial

Sou a favor de uma nova política de drogas. O problema da pessoa que se droga está relacionado com questões ligadas à saúde pública. Tem que ocorrer uma discussão muito séria para modificar as leis relacionadas ao uso de drogas leves, defendeu. Acho que nossa política de drogas é atrasada, em relação, inclusive, ao próprio usuário. Queria deixar bem claro minha posição sobre isso, reforçou.

Lei

De acordo com a norma mais recente, a Lei 11.343, de 2006, a pessoa pega com drogas para consumo próprio deve ser penalizada com medidas socioeducativas que considerem a quantidade da apreensão, os antecedentes do usuário e as circunstâncias do flagrante.

Tarso explicou que a grande questão a ser enfrentada em relação às drogas é o tráfico, em especial, de cocaína e seus derivados, que estão ligados a outros tipos de crime.

Isso nos preocupa porque [o tráfico] é um processo de acumulação financeira ilegal que deriva um conjunto de crimes, não somente financeiros, exemplificou.

Quando estive aqui [acampamento da juventude, montado em todas edição do evento], no outro fórum, um grupo de manifestantes me cercou com vários vasinhos [com mudas de maconha] dizendo: ei, polícia, maconha é uma delícia, contou. Ao ser novamente ovacionado, fez um alerta: ei, pessoal, estou com a Polícia Federal.

Candidatura

Com as mudanças na estrutura do Fórum Social Mundial, Tarso aproveita para alavancar sua candidatura ao governo do Rio Grande do Sul. Diferentemente de outros anos, o evento ocorre não apenas em Porto Alegre, mas também em outras seis cidades da região metropolitana.

As cidades de Gravataí, Canoas, Sapucaia do Sul, Novo Hamburgo, São Leopoldo e Sapiranga tiraram da capital - administrada pelo peemedebista José Fogaça, concorrente de Tarso na disputa eleitoral - boa parte dos militantes e estrelas da esquerda que todos os anos participam do Fórum Social Mundial.

Com a governadora Yeda Crusius, do PSDB, mergulhada em denúncias de corrupção e com baixos índices de popularidade, a cúpula tucana conta com Fogaça para dar palanque ao governador de São Paulo e presidenciável tucano, José Serra, no Estado gaúcho. Com a força de Lula, cabo eleitoral da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, no Nordeste, e dos tucanos no Sudeste, os petistas querem ao menos um equilíbrio com os adversários na Região Sul.

(*com informações das agências Estado e Brasil)

Leia também:

  • Lula é recebido como herói no Fórum Social Mundial
  • Fórum Social Mundial vê crise global dos partidos
  • Fórum Social Mundial faz revisão de seus 10 anos
  • "Outro mundo ainda é possível", diz criador do Fórum Social Mundial

    Leia mais sobre FSM

    • Leia tudo sobre: fsm

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG