SÃO PAULO - Reunidos no XVI Congresso Estadual do Partido Popular Socialista (PPS-SP), partidários da candidatura do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), criticaram, na cidade de Jaguariúna, no interior paulista, a gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Convidado mais aguardado do evento, o governador paulista disse em seu discurso no encontro, cujo tema era Brasil: sem mudança, não há esperança, que Índia e China estão indo bem, mas o Brasil não tem uma política econômica de desenvolvimento.

Serra referiu-se ao PPS como um partido irmão, que colabora com o governo do Estado. Por isso, não poderia deixar de prestigiar o congresso.

Em outra parte de sua fala, Serra salientou que a indústria não está mais contratando. "O Poupatempo tem 32 mil ofertas de emprego, mas a grande maioria é da área de serviços", declarou, acrescentando que houve uma época em que o País exportava muito. "Vamos voltar a exportar", disse, em tom de campanha. "Isso é a questão número 1, é estrutural".

No decorrer de sua palestra, o governador destacou o que considera os pontos fortes de seu governo e repetiu basicamente o que foi veiculado no último horário gratuito do PSDB veiculado na TV. "O seguro desemprego é criação minha. Lá no Poupatempo, de maio do ano passado até este ano, cresceram em 28% os pedidos do seguro desemprego", afirmou.

Com críticas indiretas à administração petista, Serra lembrou que Fernando Henrique Cardoso fez vários assentamentos da reforma agrária. "Até hoje vemos que isso não evoluiu." O próximo encontro estadual do PPS ocorrerá em agosto. Desta vez, no Estado Rio.

As críticas ao presidente Lula tiveram discurso exaltado do presidente do PPS, Roberto Freire, para quem a campanha eleitoral começou mais cedo. "O grande responsável é o presidente Lula, que desrespeitou a legislação, iniciando campanha já há algum tempo". Na opinião dele, "há dois grandes nomes no PSDB neste momento para disputar a presidência nas eleições de 2010: José Serra e Aécio Neves".

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), também prestigiou o evento. Em sua fala, ele destacou que os democratas estão juntos com o PSDB, PPS e PV. "Já temos uma definição de caminharmos juntos sob o comando do governador Serra. A partir de janeiro vamos discutir os nomes dos candidatos com a liderança dele." As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: Serra

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.