Em dois dias choveu 45% do esperado para abril em São Luís

SÃO LUÍS - O índice pluviométrico em São Luís bateu todas as expectativas. Nos dois primeiros dias deste mês, o Núcleo de Climatologia da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) registrou chuvas que equivaleriam ¿ comparadas à média estabelecida nos últimos trinta anos ¿ às de quase metade de um mês. Normalmente, a cidade aponta, durante abril, 473 milímetros de águas pluviais. No entanto, apenas na terça e na quarta-feira da semana passada, por exemplo, choveu 212,25 milímetros na capital, isto é, 45% a mais das precipitações comuns.

Agência Nordeste |

De acordo com informações do jornal  "O Imparcial", três dos quatro municípios da ilha estão em estado de calamidade pública e a situação de São Luís é considerada anormal.

Como o estudo feito pela Uema é baseado nas Plataformas de Coletas de Dados (PCDs) espalhadas pelo estado, há uma mensuração das chuvas em alguns municípios a partir de outros, que pertencem à mesma microrregião. É o caso daqueles que fazem parte da região metropolitana de São Luís (São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar). Eles tiveram ¿ juntamente com a capital do Maranhão ¿ chuvas que superaram em 53% no mês de março a média pluviométrica para o mesmo período dos anos passados. A taxa de chuvas é de 646,5 milímetros apenas no mês passado.

Uma confluência de fatores climáticos fazem do Maranhão um dos Estados onde há maior incidência de chuvas nesta época do ano. As frentes frias vindas do sudeste do Brasil chegam até ao sul do Estado, provocando mais precipitações e a proximidade com a área de floresta colabora para que o oeste do Maranhão seja inundado.   

A explicação para o excesso de chuvas no norte do Estado é a aproximação da zona de convergência. É ela que dá início ao período chuvoso. Existem movimentos nos hemisférios Norte e Sul, mas quando ela começa a se posicionar próximo à Linha do Equador, as precipitações também começam, elucida Rochelle Monteiro, meteorologista do Núcleo de Climatologia da Uema.

Segundo ela, as nuvens desta zona se alimentam da evaporação, formando uma banda de nebulosidade que alcança, geralmente, a parte norte do Maranhão.

Quase 500 afetados

Ao todo, 474 pessoas foram afetadas pelas enchentes na capital, segundo registros da Coordenadoria de Defesa Civil Municipal. Os principais afetados são moradores das vilas Progresso e Marinha, ocupações localizadas em um terreno abaixo do Cohafuma. Nessas vilas, cerca de mil casas foram inundadas nas madrugadas dos dias 3 e 6 de abril. Seis famílias estão desabrigadas em São Luís devido à ação das fortes chuvas, intensificadas no mês passado e previstas para continuarem até maio.

Leia mais sobre: chuva

    Leia tudo sobre: nordeste

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG