Em depoimento, Agaciel não reconhece assinatura e faz acusações a Zoghbi

BRASÍLIA - O ex-diretor geral do senado, Agaciel Maia, não reconheceu sua assinatura nos atos secretos de contratação e movimentação da servidora Lia Raquel Sá de Souza, que foi nomeada e exonerada do gabinete do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) sem ele saber. A informação foi dada à polícia do Senado que investiga o caso. O diretor da polícia Pedro Araújo pediu que perícias sejam feitas para determinar de quem são as assinaturas.

Severino Motta, repórter em Brasília |

Apesar de não acusar diretamente o ex-diretor de Recursos Humanos da Casa, João Carlos Zoghbi, Agaciel disse que era dele a responsabilidade pela contratação da servidora.

AE
Agaciel Maia, ex-diretor-geral do Senado, presta depoimento na Polícia Legislativa

O diretor da polícia ainda disse que Agaciel fez novas acusações e denúncias, mas não especificou quais. Disse apenas que nenhum senador foi citado pelo ex-diretor-geral. "Ele trouxe novidades que vão ser apuradas, se encontrarmos mais indícios, novos inquéritos devem ser abertos", disse.

Nesta quarta-feira, a servidora Lia Raquel e seu pai, o servidor efetivo do Senado Valdeque Sá de Souza, prestaram depoimento à polícia. O pai da servidora também teria dito que Zoghbi foi quem intermediou a contratação de sua filha.

Leia também:

Leia mais sobre:  Agaciel Maia

    Leia tudo sobre: agaciel maiaato secretosenadosenadores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG