Em clima tenso, Câmara do DF acata 3 pedidos de impeachment contra Arruda

BRASÍLIA - A Câmara Legislativa do Distrito Federal vai analisar três dos onze pedidos de impeachment contra o governador José Roberto Arruda (DEM). A partir de agora, essas ações terão de passar por uma comissão especial recém-criada.

iG São Paulo |

O presidente interino da Câmara, Cabo Patrício (PT), leu os pedidos nesta terça-feira, após a saída, apenas do plenário, dos estudantes, que ocupam o local desde quarta-feira em protesto contra as denúncias contra Arruda, acusado de participação em distribuição de dinheiro a políticos aliados. Ele nega as acusações.

Na quarta-feira serão escolhidos os nove integrantes da comissão especial, que teve autorização de funcionamento publicada nesta terça-feira no Diário Oficial. Até agora os pedidos passavam pela Procuradoria e pela Comissão de Constituição e Justiça.

Clima tenso

O clima no Legislativo do DF era tenso desde a manhã entre estudantes contra e manifestantes pró-Arruda. Os estudantes que estão acampados desde a semana passada para pressionar a abertura do processo de impeachment contra o governador José Roberto Arruda (DEM) foram encurralados em uma pequena sala da Câmara Legislativa por pessoas que defendem o governador.

Os manifestantes, que não param de chegar de ônibus à Câmara Legislativa, estão confrontando os estudantes, já quebraram o caixão usado no protesto estudantil, rasgaram as faixas e ocuparam o plenário e outras dependências do local.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar negociava com os manifestantes para esvaziar a Casa, depois que o prazo de um pedido de reintegração de posse venceu na segunda-feira. Funcionários da Casa foram dispensados para facilitar o trabalho da polícia.

"Nós vamos negociar, se precisar haverá ação tática", disse a jornalistas o tenente-coronel Alberto Pinto.

(*com informações da Reuters e Agência Estado)

    Leia tudo sobre: arruda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG