Em carta de renúncia, Edmar se diz vítima de perseguição

BRASÍLIA - O deputado Edmar Moreira (DEM-MG) entregou, nesta segunda-feira, a sua carta de renúncia à 2ª Vice-Presidência e corregedoria da Câmara, e afirmou ter sido vitima de perseguição. De acordo com o documento, entregue ao presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP), ele diz que sua vitória se transformou numa sangria desatada pautada em mentiras e que estão comprometendo sua integridade física e moral.

Severino Motta e Carol Pires, da Santafé Idéias |

No documento, Edmar também faz referências a seu partido, o DEM, e antecipa os argumentos que vai usar junto à Justiça Eleitoral quando pedir sua desfiliação da legenda.

"A questão ganhou contornos insuportáveis quando meu próprio partido não soube respeitar a prerrogativa regimental da candidatura avulsa, não soube exercer a ampla defesa e muito menos o contraditório antes de se pronunciar publicamente por fatos totalmente infundados, exercendo verdadeira perseguição pessoal através de execração pública", diz trecho da carta.

No documento, Edmar ainda diz que o castelo em nome de seus filhos, na região da Zona da Mata Mineira e avaliado em R$ 25 milhões, foi construído entre 1982 e 1990, antes de seu primeiro mandato.

AE

Vista aérea do castelo construído em São João do Nepomuceno

Diz ainda que ninguém buscou o registro da propriedade do castelo no cartório de imóveis ¿ o que comprovaria que o mesmo não está em seu nome e que por isso não teria sido declarado em seu imposto de renda.

"Fica apenas a coincidência de que as infundadas acusações surgiram na exata semana da eleição para o cargo de 2º Vice-Presidente na Mesa Diretora". 

Por fim, Edmar concluiu sua carta dizendo que "o presente desligamento [da 2ª Vice] se faz necessário diante da ausência de respaldo do meu próprio partido para o exercício do cargo, bem como para que possa concentrar meus esforços no sentido de responsabilizar aqueles que se valeram das inverídicas imputações". 

Eleições

Com a renúncia de Edmar, o presidente da Câmara, Michel Temer, disse que vai convocar novas eleições para o cargo até a próxima quarta-feira. A expectativa é que o deputado Vic Pires (DEM-PA) seja eleito, uma vez que dentro do acordo dos 14 partidos para a eleição de Temer ele foi o indicado para a vaga. 

Antes da eleição, nesta terça-feira, a Executiva Nacional do DEM vai se reunir e deve expulsar sumariamente o deputado de seus quadros partidários. Devido a isso, Edmar deve protocolar, ainda nesta tarde, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) seu pedido de desfiliação ¿ ele vai alegar perseguição política.

Com o movimento, Edmar espera conseguir manter sua vaga na Câmara dos Deputados, uma vez que para a Justiça o mandato é do partido, e não do candidato. Em casos de expulsão ou desfiliação, a Justiça tende a ser complacente com a perseguição política ou no caso do partido alterar radicalmente sua matriz ideológica.

Leia também:

    Leia tudo sobre: edmar moreira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG