Em busca de crédito, empresário cai em golpe

Empresários paulistas estão tendo de lidar com um outro tipo de ameaça para os negócios: estelionatários “internacionais”. O aumento da procura por crédito fez crescer nos últimos meses a ação de golpistas que se apresentam como intermediários de bancos no exterior, oferecendo taxas muito abaixo das praticadas por instituições nacionais.

Agência Estado |

Ontem, promotores denunciaram dois homens acusados de causar prejuízo de R$ 636 mil a uma revendedora de equipamentos rodoviários.

Outros cinco casos semelhantes são investigados pelo núcleo da capital do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O primeiro golpe apurado pelo Gaeco ocorreu entre dezembro de 2004 e janeiro de 2005. Em busca de crédito, o empresário José Valdenor de Quadros Fachini, sócio da Multieixos Implementos Rodoviários, foi contatado por dois representantes da GFX Consultoria, Negócios e Participações.

Depois de ouvir quais eram as necessidades do empresário, Edson Luiz Anacleto e Clayton de Castro Dias ofereceram a captação de recursos em instituições financeiras estrangeiras. Informaram ao empresário um de crédito aprovado de 5 milhões no Fin Bank, nos Estados Unidos. Depois de não receber o valor prometido e realizar depósitos como solicitado pelos intermediários, o empresário telefonou diretamente para o Fin Bank. Foi informado de que não havia crédito, pois o banco não negocia com empresas brasileiras endividadas.

Anacleto e Dias são acusados de estelionato. O Gaeco optou por não solicitar a prisão dos acusados, porque nesses casos a pena prevista é baixa - de 1 a 5 anos de reclusão - e a Justiça dificilmente aceita o pedido. Procurado pela reportagem, o empresário preferiu não conceder entrevista. Anacleto e Dias não foram localizados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG