Em área indicada por FAB, navio mercante ainda não vê destroços

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Um navio mercante holandês que chegou no início da tarde desta terça-feira ao local onde a Força Aérea Brasileira (FAB) avistou destroços durante buscas do avião da Air France desaparecido no oceano Atlântico ainda não visualizou nenhum objeto, informou a Marinha. Um navio mercante holandês chegou ao local indicado mas ainda não viu nada, disse à Reuters o capitão-tenente da Marinha Henrique Afonso, do 3o Distrito Naval em Natal.

Reuters |

A FAB informou mais cedo que aviões em operação de busca do voo AF 447, desaparecido desde domingo com 228 a bordo, visualizaram peças metálicas e não-metálicas, incluindo poltronas, e vestígios de óleo a aproximadamente 650 quilômetros a nordeste de Fernando de Noronha.

A Aeronáutica disse que ainda não é possível afirmar que se os destroços são do Airbus A330 desaparecido.

O capitão-tenente da Marinha disse que três navios mercantes foram identificados em rota comercial próximo ao local onde se acredita que o avião da Air France tenha desaparecido, de acordo com sua localização quando realizou o último contato quatro horas após decolar.

A Marinha solicitou às três embarcações que alterassem suas rotas para procurar por sobreviventes do voo Rio-Paris que decolou no domingo e desapareceu após fazer contato pela última vez com as autoridades brasileiras após passar por Fernando de Noronha.

"Navios mercantes têm uma função específica de recolher sobreviventes, mas podem também nos passar informações se avistarem algum destroço", disse o capitão-tenente.

Três navios da Marinha partiram na segunda-feira para ajudar nas buscas pelo avião. O primeiro a chegar será o navio patrulha Grajaú, com previsão de chegada à área onde foram vistos os destroços às 11h (horário de Brasília) de quarta-feira.

A corveta Caboclo e a fragata Constituição chegarão na quarta-feira. Outras duas embarcações da Marinha -- uma fragata e um navio-tanque -- partirão nesta terça-feira do Rio de Janeiro também para o local onde se concentram as buscas.

A Força Aérea Brasileira tem 10 aeronaves disponíveis nas ações de busca e resgate do Airbus A330.

(Por Pedro Fonseca; Edição de Maria Pia Palermo)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG