O número de mortos em acidentes nos 22 mil quilômetros de estradas no Estado de São Paulo diminuiu 8,32% em 2008, em relação ao ano anterior, segundo balanço da Secretaria Estadual dos Transportes. Em números absolutos, 2.

216 pessoas morreram em acidentes no ano passado, ante 2.416 registros em 2007. Os dados do governo mostram ainda que o índice de acidentes nas rodovias paulistas também apresentou recuo. Passou de 1,42 por mil veículos em 2007 para 1,34 por mil no ano passado, uma queda de 5,6%.

O índice de acidentes é calculado pela relação entre número de acidentes, quilômetros de estradas e volume diário de veículos. A queda proporcionou economia de R$ 400 milhões aos cofres públicos com o socorro às vítimas. Estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apontam que os custos com acidentes em 2008 foram de R$ 3,3 bilhões em São Paulo.

Houve 434,7 acidentes para cada mil veículos em circulação na malha paulista em 2008. Há dez anos, esse índice era de 718,1 registros - redução de cerca de 40%. Tal diminuição, segundo Alberto Sabbag, diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), reflete a importância da lei seca, que proíbe a venda de bebidas alcoólicas à beira das estradas, e a melhora no pronto atendimento às vítimas. “A diminuição de mortes no local do acidente indica melhoria no atendimento pré-hospitalar.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.