Eleito presidente do Senado, Sarney defende autonomia

BRASÍLIA (Reuters) - O ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) foi eleito nesta segunda-feira para comandar o Senado, no biênio 2009/2010, derrotando o petista Tião Viana (AC) por 49 votos a 32. Em suas primeiras declarações, defendeu a autonomia da Casa e disse que vai atuar sem diferenças partidárias. A votação secreta contou com a participação de todos os 81 senadores.

Reuters |

"Acima de tudo isso está a independência e a autonomia da nossa Casa", disse Sarney no discurso após a posse. Ele afirmou ainda que vai cortar as despesas do Senado em 10 por cento.

Sarney lamentou não ter obtido a adesão do PSDB a sua candidatura. Em uma decisão inusitada, os tucanos aderiram ao petista Tião Viana. "Devo confessar que fiquei muito triste de não ter o apoio do PSDB", disse Sarney.

Já para o líder do DEM, José Agripino (RN), o peemedebista afirmou que "nunca tomarei uma decisão sem me lembrar do apoio do seu partido". O DEM esteve com Sarney na eleição.

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), cobrou que Sarney atue com equilíbrio e garanta a proporcionalidade, além de cobrar que o novo presidente combata o excesso de medidas provisórias.

Para Tião Viana, "nesta hora, há vencedores e vencidos. Tenho muita honra de ter tido trinta e dois votos nessa eleição", afirmou.

Sarney, de 78 anos, que agora substitui Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), já presidiu o Senado por duas vezes (1995-1997 e 2003-2005) e foi presidente da República de 1986 a 1990.

Além de seu partido, o PMDB, Sarney teve o apoio de siglas como o DEM e o PTB. Tião Viana levou o PT, PSOL e PR, além do PSDB, que argumentava querer renovar a Casa.

O presidente do Senado, assim como o dirigente da Câmara, influencia na decisão da sucessão presidencial de 2010, pelo poder de dar andamento a projetos presidenciais e pela ascendência nas decisões de seu partido. Sarney vai gerir um orçamento de 2,7 bilhões de reais.

Ainda nesta segunda, serão eleitos os demais integrantes da mesa diretora.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG