Eleição na OAB de SP leva hoje 220 mil às urnas

Duzentos e vinte mil advogados vão às urnas hoje para eleger o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional de São Paulo - a maior do País, com arrecadação anual de R$ 200 milhões e o terceiro maior colégio eleitoral da categoria em todo o mundo. Quatro advogados concorrem ao posto.

Agência Estado |

Luiz Flávio Borges D’Urso, atual presidente, busca sua segunda reeleição e trava disputa com Rui Celso Reali Fragoso, Hermes Barbosa e Leandro Pinto.

A eleição ocorre das 10 horas às 18 horas em todo o Estado para renovação do Conselho Seccional e sua diretoria, conselheiros federais, diretoria da Caixa de Assistência dos Advogados e suplentes e dos diretores das 223 Subseções (212 no interior e 11 na capital paulista).

O embate é cercado de tensão. Aliados de D’Urso apostam em novo triunfo. Eles afirmam que pesquisas de intenção de voto garantem ao presidente o apoio de cerca de 65% da classe. Entretanto, assessores de Fragoso afirmam que existe um "empate técnico". Leandro Pinto e Hermes Barbosa acreditam que poderão tirar D’Urso do comando da OAB paulista.

Dois temas recorrentes marcam a campanha: o valor da anuidade paga pelos advogados, de R$ 700, e o eventual terceiro mandato de D’Urso. Opositores o acusam de querer se perpetuar no poder. O presidente diz que seu projeto inicial era voltado para o Conselho Federal da Ordem, mas decidiu concorrer outra vez à seccional paulista depois que os dirigentes de quase todas as subseções do Estado pediram a ele que ficasse.

O voto é obrigatório. O advogado que não puder votar deve justificar sua ausência até 16 de dezembro. A falta do voto ou da justificativa pode acarretar multa equivalente a 20% do valor da anuidade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG