Eleição da USP ocorre em clima tranquilo no interior

O clima é de tranquilidade nos campi de Piracicaba e Pirassununga da Universidade de São Paulo (USP), que realiza hoje o primeiro turno da eleição para seu novo reitor. Dos 91 votantes da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), 26 tinham comparecido à mesa até as 10h45.

Agência Estado |

Embora o modelo atual para a escolha do reitor venha sendo questionado por representantes de alunos, funcionários e até mesmo por docentes, a votação segue pacífica em Piracicaba. "Tudo calmo, sem protestos", afirmou o professor Gerhard Bandel, mesário da eleição na Esalq.

Uma das críticas feitas ao atual modelo é a baixa representatividade: só um em cada três professores da USP vota, um em cada 220 funcionários e um em cada 483 alunos. Ao todo, 1.925 pessoas têm direito a voto hoje. Dos 91 votantes em Piracicaba, 81 são docentes, três são funcionários e sete, alunos. O campus tem 238 professores, 2.006 estudantes na graduação, 1.062 na pós-graduação e 529 funcionários.

Em Pirassununga, 11 dos 23 votantes já tinham feito sua escolha até o mesmo horário. "Aqui é uma unidade pequena, então é muito tranquilo", afirmou a professora Elisabete Viegas, presidente da mesa de recepção de votos na Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos. O primeiro turno das eleições começou às 9 horas e vai até as 13 horas. A apuração será realizada a partir das 20 horas, em São Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG