El Negro diz ter pago R$ 400 mil de propina para polícia

O traficante El Negro contou que o Cartel do Norte do Vale, da Colômbia, resgatou no Brasil 70 milhões em dinheiro que o colombiano Juan Carlos Ramirez Abadía mantinha escondidos em São Paulo. A operação dos colombianos foi feita pouco depois da prisão de Abadía, em agosto de 2007.

Agência Estado |

El Negro acusou ainda policiais de São Paulo de extorsão e disse que não aguentava mais ser achacado pela polícia. Disse que pagou R$ 400 mil para ser deixado em paz.

No País, ele se passava pelo mineiro Manoel de Oliveira Ortiz, de Borda da Mata. Essa era uma das identidades usadas do traficante acusado de enviar 13 toneladas de cocaína para a Espanha. Além de brasileiro, El Negro já se disse espanhol. Também já usou o nome do mexicano Carlos Ruiz Santamaria. Mas, segundo revelou o Jornal Nacional , a agência antidrogas americana (DEA) afirma que se trata do colombiano Ramón Manuel Yepes Penagos.

El Negro disse durante depoimento aos federais, no inquérito que apura onde está a fortuna de Abadía, que na operação de resgate do dinheiro participaram 40 mulas. Duas das mulas foram detidas no desembarque em Bogotá. El Negro contou ainda que, além de conhecer Abadía, também havia sido ligado a outro megatraficante colombiano: Victor Patiño Fomeque. El Negro disse aos federais, mas não deu detalhes, que foi achacado diversas vezes no Brasil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG