Edmar Moreira vai ao TSE pedir desfiliação partidária

O deputado Edmar Moreira (DEM-MG) entrou hoje no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de desfiliação, alegando perseguição partidária à sua candidatura, em decorrência da ameaça do partido em expulsá-lo. Moreira é acusado de ter utilizado R$ 245,6 mil de sua verba indenizatória em serviços de segurança particular e de não ter declarado à Justiça Eleitoral a posse de um castelo, avaliado em mais de R$ 20 milhões.

Agência Estado |

Em sua defesa, o deputado alega ter sido perseguido pelo DEM que, segundo ele, "vem se pronunciando publicamente por fatos totalmente infundados, exercendo verdadeira perseguição pessoal por meio de execração pública". Moreira utiliza como defesa o argumento de que o partido se mostrou publicamente insatisfeito depois que ele conquistou a 2º vice-presidência da Câmara, justificativa que, no seu entender, seria suficiente para que o mandato permanecesse em suas mãos.

Em carta de renúncia aos cargos de 2º vice-presidente e de corregedor da Câmara dos Deputados, enviada ontem ao presidente da Casa, deputado Michel Temer (PMDB-SP), Moreira afirmou que o episódio se tornou "uma sangria desatada pautada em mentiras, inverdades, jogo de retórica e ataques sem respaldo empírico". Segundo o deputado, o castelo de que é dono foi construído na década de 80, antes de seu primeiro mandato eletivo, não tendo sido utilizado dinheiro público em sua construção.

O deputado ainda acusou o DEM de responsável por sua renúncia do cargo de corregedor e da 2º vice-presidente, alegando que seu afastamento se dá em razão da "ausência de respaldo" do próprio partido para o exercício do cargo. Moreira se diz vítima de "inverídicas imputações" e que seu desligamento do cargo na Mesa Diretora é irretratável.

Reunião

Além das denúncias de utilização indevida de verba indenizatória e de não declaração de bens à Justiça Federal, Moreira é investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por apropriação ilegal de contribuições ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) feitas por seus empregados.

A Executiva Nacional do DEM se reunirá amanhã para analisar a situação política do deputado Edmar Moreira. Nos últimos dias, o partido vem indicando que recorrerá à Justiça para ter de volta à legenda a vaga do deputado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG