Editoras relançam livros que inspiram longas no cinema

SÃO PAULO ¿ Tornou-se tradição em Hollywood - se as produções juvenis dominam quase todo o ano cinematográfico, durante aqueles meses próximos do Oscar os cinemas são invadidos por filmes dito adultos, ou seja, aqueles que exigem mais dos neurônios que da adrenalina. A prova é que muitos são inspirados em livros habitualmente bons, como comprovam os desta safra.

Agência Estado |


"O Curioso Caso de Benjamin Button" é um exemplo ¿ o filme que lidera a lista de indicações para o Oscar (13) foi inspirado em uma das histórias de "Seis Contos da Era do Jazz e Outras Histórias", de F. Scott Fitzgerald, que a editora José Olympio acaba de relançar (tradução de Brenno Silveira, 280 págs., R$ 35).

O filme de David Fincher segue o mesmo fio condutor (Benjamin nasce velho e, à medida que o tempo passa, vai rejuvenescendo), mas evita alguns achados do conto de Fitzgerald, como o bebê recém-nascido conversando com o pai como um idoso. A história inspirou também uma versão em quadrinhos lançado pela Ediouro (tradução de Enzo Fiúza) e com desenhos do ilustrador americano Kevin Cornell.

A relação entre literatura e cinema é tema também de "O Leitor", de Bernhard Schlink (reeditado agora pela Record, com tradução de Pedro Süssekind, 242 págs., R$ 29). Basicamente, trata-se do relacionamento amoroso entre um rapaz e uma mulher mais velha, ao final da 2ª Guerra, mas mostra como a literatura pode transformar a vida de alguém. O filme estreia nesta sexta-feira.

Também em busca de um reconhecimento dos leitores, "Foi Apenas um Sonho" (tradução de José Roberto OShea, 314 págs., R$ 39,90) chega pela Alfaguara na esperança que o filme com Kate Winslet e Leonardo DiCaprio jogue luzes sobre Richard Yates, cuja obra foi considerada obra-prima por Tennessee Williams.

Leia mais sobre: Oscar

    Leia tudo sobre: literaturaoscar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG