Economista é preso suspeito de dois assassinatos no Distrito Federal

DISTRITO FEDERAL - Um funcionário concursado do Banco Central (BC) foi preso nesta terça-feira suspeito de matar dois moradores de rua, em Brasília, em janeiro deste ano. O economista José Cândido do Amaral Filho, de 48 anos, foi preso em sua casa após cumprimento de mandado de prisão temporária.

Agência Estado |

Segundo a delegada Marta Vargas, ele confessou o crime no momento da prisão. "Entre as armas que vocês vão encontrar em casa não está a que vocês procuram. A arma do crime eu joguei no telhado de uma borracharia", teria revelado, segundo a delegada.

O crime aconteceu no dia 19 de janeiro, na Praça do Índio, na Asa Sul de Brasília. De acordo com a delegada, em depoimento o economista disse que ficou "insatisfeito ao passar no local à tarde e ver um dos moradores de rua beijar o peito do outro".

No dia seguinte, o economista teria ido à praça com uma motocicleta alugada e dado dois tiros na cabeça de um dos moradores e outro tiro também na cabeça do segundo enquanto ambos dormiam.

Para despistar a polícia, Amaral teria retirado a tinta da motocicleta e registrado um boletim de ocorrência sobre o roubo do veículo. As roupas usadas no crime e a arma teriam sido jogadas no telhado de um comércio, a cerca de 15 quilômetros de distância, explica a delegada.

Na casa do analista foram encontrados armas, munições e um diário de uma outra pessoa, cujo nome não foi divulgado pela polícia, relatando que Amaral cometeu outros dois crimes, um contra um menor e outro por uso de drogas.

Leia mais sobre: violência

    Leia tudo sobre: violência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG