É hora de relaxar

É hora de relaxar Por Cristiana Vieira São Paulo, 04 (AE) - Quando bate aquele cansaço ou uma dor localizada no corpo, a primeira coisa que pensamos é ah, como seria bom uma massagem..

Agência Estado |

." Seja para aliviar as tensões ou equilibrar o corpo e mente, as técnicas estão em plena evolução. A seguir você confere algumas técnicas selecionadas pela reportagem. Certamente uma delas o ajudará a relaxar:

AYURVÉDICA - Sabe aquela massagem que parece levar a um outro plano de tão relaxante que é? Se é disso que seu corpo precisa, não há outra sugestão. Tem de ser a ayurvédica. Claro que toda massagem relaxa, mas esta usa movimentos profundos, trabalhando a musculatura, as articulações e o tecido cutâneo com óleos vegetais, ervas e pós. A terapia corporal indiana - no auge de seus cinco mil anos e com o princípio de trazer o indivíduo para a sua natureza - fortalece o sistema imunológico, promove bem estar, equilibra os doshas (humor biológico) e induz o corpo a receber melhor os estímulos. Também nutre os tecidos, estimula a circulação, libera tensões físicas e emocionais, além de toxinas; aumenta a vitalidade, rejuvenesce e previne diversas enfermidades. Durante a sessão com a terapeuta Viviane da Cruz, é identificado o estado físico e emocional do paciente, para que haja um resgate do seu equilíbrio. "Faço o que amo para as pessoas que amam o que faço", diz a terapeuta.

CRÂNIO SACRAL - Com toques tão suaves que "pesam" menos de 5 gramas, a massagem crânio sacral melhora a circulação do líquido céfalo raquidiano - que protege todo o sistema nervoso central -, equilibrando o funcionamento do sistema nervoso. O efeito de relaxamento absoluto se dá graças à precisão da manipulação, em pontos localizados nos ossos da cabeça, coluna vertebral e sacro (região da lombar). Em determinados pontos, o terapeuta percebe, pelo ritmo do crânio sacral, qual a área em que o paciente mais precisa ser tratado. "Toco a coluna, mas sinto que ele precisa de tratamento no tornozelo", exemplifica a terapeuta corporal Adinalva Duarte. Pode tratar desde dores agudas até desequilíbrio psicológico e traumas. Aumenta a resistência do sistema imunológico.

FASCIATERAPIA - O fisioterapeuta francês Armand Angibaud trouxe para o Brasil, em 2001, a técnica francesa de terapia manual. "As fascias são membranas que envolvem o músculo e os órgãos", explica Angibaud. Com toques profundos, o especialista faz uma espécie de "leitura" do estado das diferentes camadas dos tecidos corporais (inclusive dos ossos), da resistência, imobilidade e bloqueio do corpo. Com isso, atua diretamente nos problemas físicos, orgânicos e psíquicos. Pelo tato, ele procura os pontos de resistência (nas articulações, músculos e órgãos) para poder liberar as tensões, dores e patologias do corpo. O método de trabalho não é só terapêutico, mas também de estímulo da percepção e criatividade. O precursor da técnica foi o professor Danis Bois, fisioterapeuta e fundador da fasciaterapia.

MOXATERAPIA - Para quem quer fazer acupuntura, mas tem pavor de agulhas, esta é uma ótima indicação. Trata-se de uma terapia oriental que se baseia nos mesmos princípios dos meridianos de energia usados na acupuntura - há estudos que comprovam que ela nasceu antes da acupuntura. Sendo assim, no lugar das agulhas, é usado o moxa (o qual parece um charuto, mas contém ervas medicinais), que aquece os pontos do corpo, de acordo com o problema apresentado, para estimular ou equilibrar os meridianos. É que o estímulo térmico, segundo o terapeuta Gilberto Shingo Katsuki, ativa o fluxo sanguíneo, desbloqueando a energia estagnada durante processos inflamatórios. "É um antiinflamatório natural, que atua através do infravermelho do calor", explica. Também auxilia no aumento do fluxo de sangue, relaxa e alivia as dores.

QUIROPRAXIA - A técnica nada mais é do que o alinhamento da coluna, ou seja, colocar as vértebras desviadas no lugar. Tão fácil quanto o seu significado é botar a coluna fora do lugar. O terapeuta Masahiro Takeshita, formado em Fisioterapia, explica que um ingênuo espirro, cruzada de pernas ou até uma inocente carteira no bolso da calça são suficientes para provocar dor na bacia ou desviar alguma vértebra da coluna. Fora do lugar, a vértebra pinça um nervo e, consequentemente, aumenta a produção de ácido lático (que causa tensão muscular), provocando dor, por vezes, insuportável. Para evitar isso, é preciso cuidar da postura, fazer alongamentos para fortalecer a musculatura e praticar atividades físicas como natação, pilates e musculação, sugere Takeshita. O tratamento não pode ser aplicado em quem passou por alguma cirurgia, teve inflamação na coluna, sofre de osteoporose aguda ou está gestante. A sessão começa com técnicas de shiatsu profundo e termina com o alinhamento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG