É grave estado de saúde de homem que passou a viver com dois corações

O paciente de 53 anos que passou a viver com dois corações após um transplante incomum realizado no Instituto do Coração (Incor), anteontem na capital paulista, continua em estado grave e - segundo os médicos - tem 50% de chances de sobreviver. Na quarta-feira, o paciente recebeu um novo órgão, de doador de Sorocaba (SP), para auxiliar o coração “antigo” a exercer sua função.

Agência Estado |

O “novo” órgão foi colocado no lado direito do peito e se liga ao original pela veia cava e artérias pulmonar e aorta. Segundo o cirurgião cardíaco Alfredo Fiorelli, responsável pelo transplante, o homem segue em estado crítico, mas estável. “Esse não é um tipo de transplante de rotina, é uma situação de exceção”, diz o médico. “As próximas 72 horas serão fundamentais para avaliar sua recuperação.” Ele sofria de insuficiência cardíaca que desencadeou uma hipertensão pulmonar. As informações são do Jornal da Tarde .

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG