O PT realizou neste domingo o primeiro turno da eleição interna para escolher o presidente e a nova direção do partido para o período que vai de 2010 a 2012. De acordo com o último boletim, divulgado às 22h12 desta segunda-feira, com 59,13% dos votos apurados, a liderança era do candidato José Eduardo Dutra, da chapa O Partido que Muda o Brasil, com 55% dos votos; o segundo lugar era de José Eduardo Martins Cardozo (Mensagem do Partido), com 19,4%.


Em terceiro vem Geraldo Magela (Movimento: Partido para Todos), com 12,4%. A candidata Iriny Lopes (Esquerda Socialista) tem 11,6%, seguido por Markus Sokol (Terra, Trabalho e Soberania), com 1%. Serge Goulart, da chapa Virar à Esquerda, Reatar com o Socialismo, está em último lugar, com 0,6% dos votos.

Dutra, ex-dirigente da Petrobras e da BR Distribuidora, é o candidato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições internas do partido.

O novo presidente do partido terá a missão de conduzir a legenda na primeira eleição presidencial em que o candidato não será Lula. As alianças em torno da candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, dividem os petistas.

Só haverá segundo turno na eleição do PT caso o candidato mais votado não obtenha mais da metade dos votos válidos.

AE
Dilma vota na eleição interna do PT

Dilma vota na eleição interna do PT

Dilma defende Dirceu

Dilma defendeu a participação de José Dirceu, ex-titular da Casa Civil, na eleição do novo diretório nacional do PT. Dirceu, que foi denunciado pelo Ministério Público e responde a processo no Supremo Tribunal Federal (STF) por suposta participação no esquema de compra de votos de parlamentares em troca de apoio ao governo, integra a chapa Construindo um Novo Brasil (CNB), antigo Campo Majoritário, liderada pelo ex-senador José Eduardo Dutra.

As denúncias de compra de votos - mais conhecido como escândalo do mensalão - foram investigadas, em 2005, pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios.

De acordo com a ministra, nenhum dos acusados de participar do esquema foi julgado ou condenado em definitivo pelo STF, o que impede a formação de qualquer juízo de valor. "Ninguém pode se cassado a priori. Eu acho que nós demos um passo grande no Brasil, quando se compara a outros países do mundo, e dizemos que somos uma das maiores democracias do mundo", afirmou Dilma.

A ministra destacou ainda que o PT procede de forma correta ao aceitar a participação de José Dirceu e de outros petistas acusados pelo Ministério Público nas chapas que disputam o comando do diretório nacional. Segundo ela, o partido deve adotar a prática da presunção da inocência.

No domingo, após votar, em São Paulo, José Dirceu declarou que, apesar de seu nome estar na chapa, não está no diretório. "Se vou para o diretório ou não é para ser definido em fevereiro", explicou.

(*com informações da Agência Estado)

Leia mais sobre: PT

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.