Duplas femininas do vôlei de praia vão às quartas-de-final

Por Alberto Alerigi Jr. PEQUIM (Reuters) - A sexta-feira no complexo de vôlei de praia de Chaoyang Park foi tão nervosa que Rosina Trevisan não aguentou ficar na arquibancada e foi terminar de ver o jogo da filha Renata pela televisão. O desempenho da filha não agradou, mas foi suficiente para ela vencer junto com Talita a dupla norueguesa Maaside e Glesnes.

Reuters |

A vitória, que foi seguida pelos 2 a 0 aplicados por Ana Paula e Larissa na dupla alemã Pohl e Rau, abre caminho para uma eventual semifinal brasileira no vôlei de praia na Olimpíada de Pequim.

'Espero que isso não aconteça mais não. Meu coração disparou e eu fiquei muito nervosa. Elas jogaram muito mal', disse Rosina, ainda segurando a bandeira do Brasil nas costas e com lágrimas nos olhos.

Renata e Talita sofreram, mas bateram de virada a dupla da Noruega que abriu o jogo vencendo o primeiro set em 21 a 12, mas depois perdeu o segundo por 21 a 19 e o terceiro por 15 a 13.

'A gente ficou quatro anos treinando e não seria justo agora nas oitavas a gente acabar daquele jeito', disse Talita.

'Elas jogaram muito, mas a gente jogou mal, fomos no ritmo que elas estavam aplicando em vez de impormos nosso jogo', afirmou a jogadora.

Contrariada com seu desempenho, Renata disse: 'Essa fase da eliminatória é sempre nervosa, mas o importante foi que a gente ganhou'.

A dupla pega nas quartas-de-final as experientes australianas Barnett e Cook, que têm técnico brasileiro. A previsão das brasileiras é de um jogo difícil, com bloqueios altos aplicados pela dupla da Austrália.

'Acho que elas (brasileiras) têm boas chances contra as australianas. Elas são mais fortes, mas as australianas são fortes de cabeça também', disse Glesnes, afirmando que sua dupla 'deixou as brasileiras voltarem para o jogo'.

ENTROSAMENTO

Na segunda vitória brasileira da noite, Ana Paula e Larissa deram show de entrosamento apesar de a dupla ter sido formada às pressas, depois que Juliana foi cortada por voltar a sentir lesão no joelho direito. O próximo desafio é contra a dupla campeã olímpica Walsh e May.

Com parciais de 21 a 18 e 21 a 14, o jogo brasileiro foi marcado por fortes cortadas de Larissa e precisos bloqueios de Ana Paula, que atuou como 'coadjuvante' da dupla.

'Hoje o jogo foi da Larissa. Ela comandou o tempo todo e olha que eu sou 10 anos mais velha que ela', disse Ana Paula, afirmando que a ex-rival 'leu muito bem a defesa porque jogou 11 vezes este ano contra elas e eu não joguei nenhuma'.

'Wash e May tem um bom saque e bom entrosamento', disse a ex-jogadora de vôlei de quadra, afirmando que a dupla está buscando ampliar o relacionamento para fora das areais para melhorar o entendimento no jogo.

Antes da partida, ambas mostraram uma para outra fotos da família. 'Isso dá mais entrosamento, estamos passando quase todos os dias juntas e estamos muito abertas uma com a outra', disse Ana Paula, citando momento do jogo em que Larissa gritou com ela para fazer saque flutuante em vez de saque viagem.

Talita e Renata e Ana Paula e Larissa voltam a jogar no domingo, pelas quartas-de-final do torneio. Se passarem, as brasileiras se enfrentarão nas semifinais que acontecem dia 19.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG