Dupla recolhe lixo para fazer esculturas nas ruas de SP

É possível afirmar que fazer arte do lixo é a maneira mais intensa de aderir ao conceito da reciclagem. “Nosso trabalho é visceral”, concordam, quase em uníssono, os artistas plásticos paulistanos Rodrigo Machado, de 36 anos, e Pado, como é conhecido Cleber Padovani, de 27.

Agência Estado |

Desde o início do ano, eles vêm espalhando pela cidade curiosas esculturas construídas com tranqueiras encontradas pelas ruas. “É o nosso tapão na orelha da sociedade”, explica Rodrigo, ensaiando um discurso ecologicamente correto.

No processo de criação da dupla tudo acontece meio que por acaso. “Nos encontramos no domingo, geralmente pela manhã, e damos um rolê de carro por algum bairro, até acharmos um local interessante”, conta Rodrigo. “Pelo caminho, a gente enche o Uno de lixo.” Apanhado nas ruas, obviamente. Na última criação, domingo retrasado, quando fizeram uma árvore batizada de Pé de Lixo em plena Avenida Paulo VI - prolongamento da Sumaré, na zona oeste da capital -, levaram cerca de três horas apenas para recolher o material pelas redondezas. “Gastamos mais umas seis horas montando a escultura”, dizem.

Foi a sétima vez que essa rotina se repetiu. Rodrigo e Pado fizeram Sala de Escritório, O Portal, Totem, Esfinge, O Carro, A Girafa e Pé de Lixo , em bairros como Pinheiros, Pompeia, Lapa e Vila Mariana. Segundo estimativa dos artistas, 80% da matéria-prima utilizada vem das ruas. O resto, também lixo, é trazido por eles. “Até os pregos são reaproveitados”, garante Rodrigo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG