Doze crianças indígenas morrem com suspeita de rotavírus no Acre

Elas viviam em aldeias no interior do Estado; equipes de saúde foram deslocadas para a região

Wilson Lima, iG Maranhão |

Reprodução
Distância de 215 km entre Rio Branco e Manoel Urbano
Doze crianças indígenas morreram desde dezembro com suspeita de terem contraído rotavírus entre as cidades de Manoel Urbano e Sena Madureira, no interior do Acre. Uma outra criança indígena com suspeita da doença chegou a ser transferida para a capital Rio Branco, mas seu quadro clínico é estável.

Todas as crianças foram internadas em hospitais municipais das duas cidades com sintomas semelhantes: febre, vômito e diarreia. Apenas exames médicos complementares confirmarão a causa das mortes dos indígenas.

No Pará: Índios queimam ponte para cobrar estrada e carro do governo

Em Mato Grosso: Com 35 índios mortos, Mato Grosso decreta situação de emergência

Em nota oficial, porém, a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde afirmou que acompanha oito mortes de crianças indígenas. Estas crianças são das etnias Kaxinawá e Kulina. Os óbitos foram registrados nas aldeias de Nova Família, Morada Nova, Novo Repouso, Nova Fronteira, Nova Aliança, Kanamari e Moema, na região de Santa Rosa do Purus. As primeiras mortes ocorreram em 15 de dezembro, pelas informações do Ministério da Saúde.

As outras quatro crianças foram encaminhadas diretamente à rede municipal de saúde de Manoel Urbano e Sena Madureira, conforme informações do Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Purus, na região das cidades onde ocorreram esses casos de rotavírus.

Pelo menos 15 servidores do Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Purus, na região das cidades onde ocorreram esses casos de rotavírus, foram deslocados para a região. Equipes da Secretaria Estadual de Saúde do Acre também estão na região adotando medidas emergenciais.

Acredita-se que, provavelmente, as primeiras crianças foram contaminadas no final de outubro ou início de dezembro. No Brasil, o rotavírus mata cerca de 10 crianças para cada grupo de 100 mil com até cinco anos de idade. A doença é transmitida por contato pessoa a pessoa, por meio de água, alimentos e objetos contaminados.

    Leia tudo sobre: índioscriançasrotavírus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG