Dorothy Stang: indulto a condenados pode ser suspenso

O coordenador-geral do Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos da Secretária Especial dos Direitos Humanos (SEDH) da Presidência da República, Fernando Matos, enviou ontem (8) um ofício à presidente do Tribunal de Justiça do Pará, desembargadora Albanira Lobato Bemerguy, e ao Secretaria de Estado de Segurança Pública, Geraldo José de Araújo, pedindo a suspensão do indulto concedido a dois condenados pela morte da missionária norte-americana Dorothy Stang, assassinada em 2005. A Justiça autorizou os pistoleiros Clodoaldo Carlos Batista e Amair Feijoli Cunha, condenados a 17 e 18 anos, respectivamente, a passarem quatro dias na rua por conta do Dia dos Pais.

Agência Estado |

Desde fevereiro deste ano, os dois são mantidos em regime semi-aberto. No documento, Matos diz que recebeu a notícia da soltura com muita preocupação e pede a reversão da libertação deles. "Tal soltura pode significar um reforço na crença da impunidade que afronta esse Estado (Pará)", afirma o coordenador no ofício.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG