Brasília - O senador Francisco Dornelles (PP-RJ), relator da mensagem de indicação de Toffoli para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), apresenta hoje (23) seu parecer sobre o caso na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

O parecer, que deve ser favorável, será analisado pelos senadores. A expectativa é de que haja um pedido de vista coletivo. Com isso, a sabatina de José Antônio Dias Toffoli ficará para a semana que vem. E passará por votação secreta na própria CCJ e também no plenário do Senado.

Toffoli já começou a campanha para ter sua indicação ao Supremo aprovada. Ontem, visitou diversos senadores e entregou ao presidente da CCJ, Demóstenes Torres (DEM-GO), os documentos que serão repassados aos senadores da comissão.

A oposição tem resistência à sua indicação porque ele foi advogado do PT nas campanhas eleitorais de Lula. Mas foi defendido por parlamentares do governo, que disseram que, ao assumir a vaga, acabarão as filiações partidárias.

Em sua página do Twitter, Demóstenes afirmou que os critérios de notório saber jurídico e reputação ilibada, exigidos para a ocupação de uma vaga no STF, serão analisados de maneira justa.

Toffoli foi condenado pela Justiça do Amapá a devolver R$ 420 mil aos cofres do estado porque seu escritório de advocacia foi contratado irregularmente. Os efeitos da condenação foram suspensos depois que ele recorreu da decisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.