Donos do tesouro submarino descoberto pela Odyssey são identificados

O tesouro submarino descoberto em 2007 pela empresa americana Odyssey na fragata espanhola La Mercedes, afundada ao sul de Portugal, pertencia em grande parte a 130 comerciantes espanhóis, informou neste domingo o jornal El País.

AFP |

Os descedentes desses comerciais poderão fazer valer seu direito sobre o tesouro, objeto de conflito entre a Odyssey e o Estado espanhol, segundo o jornal, que disse ter encontrado as 130 famílias através dos Arquivos das Índias, em Sevilha.

A Espanha reclama ante a justiça as 500.000 peças de prata e inúmeros objetos de ouro cuja descoberta foi anunciada em maio de 2007 pela Odyssey, que alegou ter descoberto o barco de guerra "La Mercedes" - afundado em 1804 perto do Estreito de Gibraltar - em águas internacionais.

Se o tribunal de Tampa (Flórida), que examina o litígio, der razão à Espanha, os herdeiros espanhóis poderão reclamar a fortuna ante a justiça de seu país, muito embora a legislação espanhola não preveja a possibilidade de fazer valer esses direitos pelo fato de já ter transcorridos 200 anos dos fatos.

A Odyssey acha que as famílias têm direito de reclamar uma parte do tesouro, mas que deve ficar com 80% como recompensa por tê-lo resgatado.

Para o governo espanhol, o tesouro é patrimônio nacional e deve ser restituído totalmente.

A embarcação, que afundou num confronto com ingleses, transportava uns 250.000 pesos destinados ao rei Carlos IV da Espanha.

gg/esb/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG