Proprietário de uma escola de ensino fundamental de Guanambi, a 798 quilômetros a sudoeste de Salvador, Paulo Artur Prado, de 38 anos, foi preso ontem acusado de pedofilia. Segundo a polícia, ele é suspeito de ter abusado de pelo menos três alunos da escola.

A Justiça autorizou a prisão preventiva do professor depois da denúncia da mãe de uma das supostas vítimas, um menino de 7 anos, ao Conselho Tutelar do município.

Em depoimento ao coordenador Regional de Policial Civil, Élvio de Oliveira, Prado negou as acusações e disse querer ajudar a polícia a "encontrar o verdadeiro culpado". O professor está sendo mantido em uma cela isolada para evitar conflitos com outros presos. "Até o momento, os indícios apontam que ele seja o responsável, mas continuamos investigando as denúncias", diz Oliveira. "A situação foi descoberta depois que uma mãe detectou ferimentos no filho. O menino foi submetido a exame médico e ficou caracterizado o atentado violento ao pudor."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.