Dom Orani defende diálogo entre crenças diferentes

Ao tomar posse hoje à tarde na Arquidiocese do Rio de Janeiro, o arcebispo Dom Orani João Tempesta, de 58 anos, chegou anunciando o diálogo, inclusive com crenças diferentes. É possível o diálogo, é possível o ecumenismo, é possível o diálogo com as culturas, é possível o diálogo com as pessoas de boa vontade que querem construir um mundo mais justo e humano.

Agência Estado |

AE
Dom Orani é empossado durante cerimônia na Catedral do Rio de Janeiro

Na verdade, todos nós nos encontramos na construção do bem comum", anunciou, durante a homilia da missa concelebrada por quatro cardeais, mais de 60 bispos e centenas de padres não apenas do Rio, mas também da diocese de Belém do Pará, onde ele atuava.

Dom Orani, que substituirá Dom Eusébio Scheid, lembrou a diversidade existente na Igreja, mas destacou a necessidade da sua unidade. Ele deixou claro não ter trazido fórmulas e estar aberto ao diálogo. "Não trago soluções prontas para os diversos problemas, em especial a questão da violência, mas sim abertura para o diálogo que nos ajude a encontrar os melhores caminhos para possíveis soluções de problemas", explicou.

Em entrevista após a cerimônia, Dom Orani, que na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se especializou na área de comunicação, destacou que a questão da violência não pode impedir o trabalho da Igreja. "É missão da Igreja ir anunciar o Evangelho e, por própria definição, ir em todos os cantos. Ao mesmo tempo, sabemos que a questão da violência não se resolve a curto prazo. Então precisamos trabalhar juntos para que a curto ou médio prazo encontremos caminhos. A Igreja pode fazer a sua parte, mas ela não deve estar sozinha neste ponto", explicou.

    Leia tudo sobre: arcebispo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG