SÃO PAULO - Dois coronéis da reserva da Polícia Militar de São Paulo vão assumir as principais diretorias da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Após reunião sigilosa na última terça-feira, foi lançado o processo de reformulação na companhia, que culminou na demissão do diretor de Administração e Finanças, Egydio Bianchi, e no deslocamento de cargo do diretor de Operações, Adauto Martinez Filho.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que as mudanças seriam uma manobra do secretário de Transportes e presidente da CET, Alexandre de Moraes, para afastar funcionários ligados ao ex-presidente Roberto Scaringella. Adauto Martinez foi engenheiro de tráfego da CET e acabou convidado por Scaringella em 2005 para o cargo de diretor de Operações. Egydio Bianchi é amigo pessoal de Scaringella desde 1970 e é ligado ao PSDB, que cada vez mais perde espaço no governo Kassab.

Bianchi estava havia dois anos no cargo. Para seu lugar na diretoria de Administração e Finanças assume o coronel da reserva Roberto Allegretti, atual diretor do Departamento de Transporte Público (DTP) da Prefeitura. Ele é homem de confiança do secretário. Juntos trabalharam na gestão de Geraldo Alckmin - o coronel foi diretor do Gabinete da Casa Militar e Alexandre de Moraes, presidente da antiga Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem). O novo diretor de Operações será o coronel Rui César Mello, ex-comandante-geral da PM. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais sobre: CET

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.