As farmácias públicas do governo do Distrito Federal estão desde o fim de janeiro sem o medicamento Ursacol, indispensável para o tratamento de pessoas com insuficiência hepática. Pacientes que necessitam do remédio - mesmo aqueles que têm na Justiça liminares garantindo a distribuição da droga - tiveram de suspender as terapias, comprar por conta própria o medicamento ou pedir para familiares ajuda para arcar com os custos do tratamento.

O governo do Distrito Federal atribui o estoque zerado a problemas no processo de licitação. Ano passado, quando o remédio também faltou nas prateleiras das farmácias públicas, a justificativa foi a mesma. A caixa do remédio, com 20 comprimidos, custa R$ 54.

O descumprimento de liminares na área de saúde está se tornando uma prática frequente, diz o promotor Jairo Bisol, da Promotoria de Defesa da Saúde do DF (Prosus). Desde 2008, o promotor contabilizou 15 casos de descumprimento de decisões na Justiça. A Secretaria da Saúde do DF informou que o remédio estará disponível a partir do dia 12. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.