Doença rara mata adolescente de 14 anos no Ceará

Um adolescente de 14 anos residente em Fortaleza morreu vítima de melioidose, doença ainda rara no Brasil, mas muito letal e que é provocada pela bactéria Burkholderia pseudomalei . Como o jovem passou por várias cidades do interior do Estado durante o feriado da Semana Santa, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) ainda investiga qual teria sido o local do contágio, que pode ter acontecido nos municípios de Guaraciaba do Norte, Ipú (Bica do Ipú) ou em Ubajara (Cachoeira do Boi Morto).

Agência Estado |

A doença foi diagnosticada pela primeira vez no Brasil em 2003. Todos os oito casos registrados até agora - contando com o jovem - ocorreram no Ceará. De acordo com a Sesa, a melioidose apresenta letalidade muito elevada nas formas graves. No Ceará, de 85,7%. A doença foi registrada pela primeira vez no mundo em países como Austrália e Vietnã. Ainda não se sabe como chegou ao Brasil.

O contágio ocorre pela exposição de pessoas à água e ao solo contaminados. A transmissão pode ocorrer através da inoculação em pele, por ingestão, aspiração e inalação. O diagnóstico da doença é laboratorial e a bactéria é resistente aos antibióticos utilizados para infecções. "Daí a importância da suspeita clínica para a instituição precoce e adequada da medicação específica", afirma o médico infectologista Anastácio Queiroz, diretor do Hospital São José, referência no Ceará em doenças infecto-contagiosas.

Chuvas

Segundo Queiroz, as fortes chuvas que caem sobre o Ceará podem favorecer a proliferação da bactéria. Ele alerta para que a população evite tomar banho em rios, lagoas e açudes. "Nesse período, as águas dos reservatórios tornam-se barrentas e é comum, quando se mergulha, se ingerir muita água. Daí ser melhor evitar tomar banho nesses locais nessas primeiras chuvas", aconselha o especialista.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG