As doenças do aparelho circulatório, como enfarte, hipertensão e insuficiência cardíaca, são a causa mais freqüente de morte entre brasileiros. Estudo divulgado hoje pelo Ministério da Saúde aponta o fator como responsável por 283,9 mil mortes em um ano - 32,2% do total de pouco mais de 1 milhão de óbitos.

O levantamento compilou dados de 2005 do Sistema de Informações de Mortalidade.

A causa mais comum de morte por doença circulatória é o Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou derrame, que chega a ocasionar 10% do total de óbitos registrados no País. As mortes por enfarte representam 9,4%. O diretor do Departamento de Análises de Situação de Saúde do Ministério, Otaliba Libânio, relaciona o cenário com os hábitos dos brasileiros. "Comer alimentos com excesso de gorduras, açúcares e sal, fumar e consumir abusivamente bebidas alcoólicas potencializam o risco de doenças circulatórias."

A comparação dos dados atuais com os de 1930 mostram mudança no perfil da mortalidade dos brasileiros, o que esta ligado à mudança de hábitos da população. Se antes as doenças infecciosas respondiam por 46% das mortes, hoje representam não mais que 5%. Em compensação, os óbitos ocasionados por problemas cardiovasculares passaram de 12% para mais de 30%.

A segunda causa mais freqüente (16,7%) de mortes no Brasil é o câncer, com 147,4 mil falecimentos em 2005. Em seguida, vêm as mortes por causas externas, como homicídios e acidentes de carro, que correspondem a 14,5%, e os óbitos por doenças respiratórias, 11,1% do total.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.