Documento final de congresso vai propor criação de sistema de alerta contra pedófilos

RIO DE JANEIRO - O documento final a ser assinado por autoridades de 137 países participantes do 3° Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes trará um plano de ação para o combate a esse crime no turismo e na internet. O encontro começou na última terça-feira, no Rio de Janeiro, e termina nesta sexta-feira.

Agência Brasil |

Entre os principais pontos do texto, chamado Declaração e Plano de Ação do Rio de Janeiro para Prevenir e Eliminar a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, está a proposta de criação de um sistema de alerta verde da Polícia Internacional (Interpol).

Com isso, pessoas que tenham histórico de abuso sexual de crianças ficam obrigadas a notificar o governo de seus países quando forem fazer uma viagem internacional. As autoridades, por sua vez, deverão avisar ao governo do país de destino, que poderá negar a entrada do indivíduo ou monitorar sua estada.

Os países que assinarem o documento também ficam comprometidos a combater todas as formas de abuso sexual de crianças, de acordo com o entendimento internacional sobre o tema. Dessa forma, casamentos entre crianças e adultos, comuns em algumas culturas, entram na lista de proibições.

O comitê de redação da declaração é formado pelos quatro organizadores do encontro ¿ Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), NGO Group, Ecpat Internacional e governo brasileiro. O texto não passará por votação, mas receberá acréscimos dos grupos de debates que participam de oficinas que ainda sendo realizadas.

Leia mais sobre: crimes no turismo e crimes na internet

    Leia tudo sobre: crimerio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG