SÃO PAULO - A Universidade de São Paulo (USP) pretende mudar o formato da Fuvest a partir deste ano, o que poderá facilitar o vestibular para estudantes de escolas públicas. O jornal O Estado de S. Paulo teve acesso a um documento que descreve as mudanças - preparado por um grupo de representantes da reitoria e de algumas unidades -, apresentado pouco antes do carnaval ao Conselho de Graduação da instituição.

Entre as modificação propostas, a primeira fase do exame deixaria de contar pontos para a nota final e a segunda etapa passaria a incluir questões de todas as disciplinas.

A expectativa é de que o documento seja aprovado até maio. No ano passado, 138 mil estudantes se inscreveram para a Fuvest, que é considerado o maior vestibular do País. O número, no entanto, foi o mais baixo registrado nos últimos 11 anos. Desde 2006, a USP vem implementando medidas para atrair mais candidatos que estudaram em escolas públicas para o exame.

O documento explica que a primeira fase da Fuvest deve ser visualizada como um filtro de acesso para a segunda fase, e por isso os pontos obtidos podem ser desconsiderados na próxima etapa. Dessa forma, ainda segundo o texto, a segunda fase passa a ser disputada por candidatos de escolas públicas e particulares, que partirão das mesmas condições iniciais.

A USP ainda argumenta que a mudança pode reduzir a influência do preparo em cursinhos pré-vestibulares que investem em treinamento intensivo para lidar com provas objetivas e que não são acessíveis aos estudantes carentes. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: Fuvest

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.