Doação de leite materno cai entre 40% e 50% no mês

Se o volume de doações de roupas e brinquedos cresce substancialmente no período natalino, o mesmo não é observado nos centros especializados de coleta de excedente de leite materno. Com as viagens de final de ano, muitas das principais doadoras deixam de contribuir, reduzindo em até pela metade a quantidade de leite doado aos bancos de armazenamento do Estado de São Paulo.

Agência Estado |

É o que mostram dados preliminares divulgados na sexta-feira (18) pela secretaria estadual de Saúde. De acordo com o governo, houve em dezembro deste ano uma queda estimada entre 40% e 50% no volume de leite doado no Estado ante a média observada no restante do ano.

Diante disso, o governo de São Paulo iniciou desde a semana passada campanha para incentivar a doação. As interessadas devem entrar em contato com o banco de leite mais próximo de sua residência. Antes da coleta, a provável doadora deve fazer um pré-cadastro e passar por uma avaliação médica, que indicará se ela está apta a ceder o leite. As mulheres consideradas potenciais doadoras devem estar em período de amamentação, ter boa saúde, não usar nenhum medicamento, não fumar, não ingerir bebidas alcoólicas, não utilizar nenhum tipo de drogas e ter os exames sorológicos do pré-natal em dia. A coordenadora do banco de leite materno no Estado, Maria José Guardia, assegura que a doadora recebe toda a orientação necessária para fazer a coleta em casa e armazenar o leite de maneira correta.

A coordenadora ressalta que a doação de leite, além de ajudar na amamentação de crianças, beneficia a doadora. "A coleta do leite excedente reduz o risco dos cânceres de mama e ovários, previne a osteoporose e faz com que a mãe desinche e retorne mais rápido ao peso que tinha antes do período de gestação", enumera. Ela lembra que o leite materno doado é pasteurizado e submetido a controle de qualidade antes de ser distribuído aos bebês impossibilitados de receber o leite do seio da mãe.

Doadora desde setembro deste ano, a professora Greice Lopes Clemente Constantino explica que a coleta de leite é fácil e bastante segura. "Eu tinha muito leite e procurei na internet onde poderia doar. Liguei para um dos centros de coleta e recebi toda a orientação que precisava. A equipe veio até a minha residência, fez exames e triagem e logo retornaram à minha casa para coletar o leite", conta.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG