Divergências entre Jucá e Jarbas Vasconcelos dividem PMDB no Senado

BRASÍLIA - Enquanto o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) critica, nesta terça-feira, o bate boca de ontem no plenário da Casa Legislativa, o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) defende o boicote a quaisquer votações em plenário, presididas pelo senador José Sarney (PMDB-AP).

Camila Campanerut, repórter em Brasília |


Jucá pede cautela aos colegas da casa para não tornar discussões políticas em briga de rua. O líder afirma que o Palácio do Planalto não tem qualquer relação com os problemas do Senado. 

Vim esclarecer a posição do governo nesta questão. Este é um processo interno sem interferência do governo. Temos que ter tranqüilidade, cabeça fria para colocarmos a Casa nos eixos, afirmou.

Já o senador Jarbas Vasconcelos argumenta que não foram dadas respostas suficientes por Sarney sobre as irregularidades, que ele é acusado de estar envolvido. E avisou: Eu não voto nada e onde puder exercer qualquer tipo de influência no sentido de que não se vote nada até a saída de Sarney, farei. Quais são as armas que a gente tem? Somos minoria e ao invés de usar a força, a ameaça, vamos partir para o enfrentamento correto, racional, equilibrado. Quem provocou não fomos nós, fomos provocados. É regimental e a casa não pode continuar sendo presidida como se nada estivesse acontecendo.

Leia também


Leia mais sobre crise no Senado

    Leia tudo sobre: ato secretopmdbromero jucasarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG