BRASÍLIA - O deputado Michel Temer, que acumula as funções de presidente do PMDB e da Câmara dos Deputados, disse nesta quinta-feira que a disputa pelo comando do fundo de pensão Real Grandeza, que controla a estatal Furnas, não diz respeito ao PMDB.

"Não é o PMDB, não. É uma questão administrativa, do Ministério de Minas e Energia e de Furnas. Não é uma questão do PMDB, avaliou Temer.

Hoje, o fundo Real Grandeza é presidido por Sérgio Wilson Ferraz Fontes e tem como diretor de investimentos Ricardo Gurgel Nogueira ¿ ambos com mandato até outubro.

Porém, por pressão do ministério de Minas e Energia, comandado pelo ministro Edison Lobão, do PMDB, Furnas pede a troca de diretoria do fundo de pensão, diante das dificuldades e de desconfiança no relacionamento com a Fundação".

A reunião do conselho que decidiria sobre a substituição do presidente e diretor da Real Grandeza, agendada para esta quinta-feira, foi desmarcada após reunião entre o ministro Edison Lobão e o presidente Lula.

Ao longo do dia, funcionários de Furnas fizeram protesto contra a pressão do PMDB. O Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Energia do Rio de Janeiro e Região (Sintergia-RJ) apóia a manutenção de Fontes e Nogueira na presidência e diretoria do fundo, respectivamente.

Leia mais sobre: fundos de pensão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.