Brigas entre facções que disputam pontos de drogas causaram pelo menos seis mortes este ano em Sorocaba, a 92 km de São Paulo. Ontem, policiais encontraram, enterrado num canavial, o corpo de Rodrigo Moreno Castro, de 27 anos, que estava desaparecido desde fevereiro.

Ele teria sido sequestrado e executado pela gangue do "Gardenal", apelido pelo qual é conhecido o traficante Sérgio Augusto Valério Ferreira.

Castro fora visto pela última vez quando era rendido por dois homens e colocado no porta-malas de um carro. A Polícia Civil acredita que a morte está relacionada à disputa pelo tráfico de drogas na região do Jardim Botucatu. A vítima já tinha sido presa por tráfico. O próprio "Gardenal" revelou o local onde o corpo estava enterrado.

Na quarta-feira, policiais foram chamados para recolher uma ossada, encontrada por moradores num depósito de entulho no bairro Wanel Ville. O crânio, com perfurações, e outras partes do corpo estavam acondicionados em um saco de lixo. A área fica próxima da Vila Nova Esperança, um dos principais pontos de tráfico na cidade, e é usada para a "desova" de vítimas das disputas entre facções.

A morte de C.M.C., de 16 anos, executado com quatro tiros na Vila Sabiá, também pode ter relação com o tráfico. A casa do suspeito do assassinato, um traficante da região, foi incendiada após o crime. No último dia 12, dois homens foram executados na Vila Santana. Um deles, Adriano Aparecido Santos, o "Cazuza", era procurado por tráfico. Na mesma região, outro rapaz foi baleado na perna, num possível acerto de contas entre as facções.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.