A disputa interna no PSDB para definir o candidato a prefeito de São Paulo chegou ontem aos tribunais. A decisão partiu da ala tucana que defende o apoio a uma chapa liderada pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM).

O grupo ingressou na Justiça com um mandado de segurança. A medida, segundo o líder da bancada de vereadores tucanos, Gilberto Natalini, era para garantir que nenhuma das assinaturas de apoiadores da chapa pró-Kassab apresentadas pelo grupo fosse retirada posteriormente pelo partido, sob alegação de desistência.

Eles obtiveram 424 assinaturas a favor do prefeito e eram necessárias 403 para protocolar o documento. “Ouvimos que a Executiva Municipal estava com a idéia de ampliar o prazo para desistência em 24 horas. Não concordamos com isso e entramos com esse mandado para nos prevenir”, explicou Natalini.

O prazo para retirar o apoio da chapa venceu às 18 horas da quarta-feira. Das 424 assinaturas - todas de delegados com direito a voto na convenção do PSDB -, 7 foram anuladas pelo Diretório Municipal. Segundo o partido, as pessoas pediram, dentro desse prazo, a retirada de suas assinaturas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.