Disputa entre sindicalistas atrapalha trânsito na BA

Uma disputa entre grupos que disputam a liderança do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Salvador causou o fechamento, entre as 6 horas e as 9h30 de hoje, das garagens de quatro das 19 empresas de transporte público da capital baiana. Os problemas de trânsito causados pela ação dos sindicalistas levaram a direção da Universidade Federal da Bahia (UFBA) a atrasar em 30 minutos o horário do fechamento dos portões nas escolas onde estão sendo realizadas as provas do vestibular da instituição.

Agência Estado |

Hoje foi o segundo e último dia da primeira fase. A universidade divulgou que a abstenção ficou em 7,2% no Estado - 2.927 estudantes não compareceram -, índice dentro da média.

O protesto dos rodoviários é liderado pelos integrantes da Chapa 4, que ficou em segundo lugar na eleição do sindicato da categoria, realizada na semana passada. De acordo com eles, o grupo vencedor, liderado pelo presidente reeleito do sindicato, Manoel Machado, manipulou o resultado ao fraudar três urnas. A diferença de votos entre os grupos na eleição foi de 376 (5.135 a 4.759) e as urnas fraudadas teriam, no total, cerca de 1.700 votos.

Machado nega ter havido manipulação do resultado. De acordo com ele, as urnas em questão foram impugnadas pela comissão eleitoral, que reúne representantes de todas as chapas, por problemas como extravio de ata. "Eles estão tentando justificar o ato, mas já tinham prometido, antes da eleição, que parariam a cidade se perdessem", alega o sindicalista. "O que eles estão fazendo é 'baderna' e cabe ao poder público punir os culpados."

É a terceira vez que integrantes da Chapa 4 atrapalham o trânsito da cidade por causa de problemas internos no sindicato - a primeira foi em julho e a segunda, na sexta-feira. O Ministério Público baiano ameaça os integrantes do grupo com ação por atentado contra o funcionamento do transporte público e formação de quadrilha.

Os membros da Chapa 4 negam que estejam atrapalhando o funcionamento das empresas. "Estamos apenas nos reunindo nas portas das garagens para colher assinaturas dos trabalhadores para comprovar a fraude nas eleições", alega o candidato a vice-presidente na chapa, João Bonito. De acordo com ele, estão previstas novas reuniões do tipo ao longo da semana e haverá uma grande manifestação, no sábado, pela anulação da eleição.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG