Disparada de commodities amortece pessimismo com Wall Street

Por Aluísio Alves SÃO PAULO (Reuters) - Uma recuperação acentuada dos preços de commodities internacionais amorteceu a influência negativa de Wall Street sobre o principal índice da Bovespa, que entretanto fechou no vermelho pela terceira vez.

Reuters |

A virada nos últimos instantes fez o Ibovespa terminar o dia desvalorizado em 0,13 por cento, aos 38.180 pontos. O movimento financeiro da sessão totalizou apenas 3,38 bilhões de reais.

"O que salvou o índice foi a alta de Petrobras e Vale", disse Pedro Galdi, analista da corretora SLW.

O petróleo superou os 45 dólares o barril após os Emirados Árabes anunciarem cortes maiores em seu fornecimento para a Ásia para o mês de abril, em um sinal de que a Opep poderá reduzir mais a produção.

Esse movimento influenciou outros mercados de commodities, como o de metais, levando Vale a subir 0,2 por cento, para 26,56 reais.

Os papéis da Petrobras fecharam o dia em alta de 1,03 por cento, negociados a 26,52 reais.

Na primeira parte do dia, o otimismo chegou a ser maior, depois que o presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou a proposta de Orçamento para 2009, contemplando uma ajuda adicional de até 750 bilhões de dólares para os bancos atingidos pela crise.

Foi o suficiente para abrandar a decepção com uma bateria de novas notícias ruins. No setor privado, o Royal Bank of Scotland reportou prejuízo recorde de 34,3 bilhões de dólares em 2008, enquanto a General Motors anunciou que teve perda líquida de 30,9 bilhões de dólares no mesmo ano.

Enquanto isso no plano macroeconômico, os Estados Unidos anunciavam que as encomendas de bens duráveis atingiram em janeiro o menor nível em seis anos, que os pedidos de auxílio-desemprego atingiram novo recorde em fevereiro e que as vendas de novas moradias caíram para novo piso em janeiro. Na zona do euro, a confiança econômica atingiu recorde de baixa.

No meio da tarde, já olhando para novos indicadores que serão divulgados nesta sexta-feira, entre eles o PIB norte-americano do quarto trimestre, os investidores retomaram a postura defensiva.

Os principais índices de Wall Street fecharam com desvalorização de mais de 1 por cento.

Na bolsa paulista, os destaques de alta e de baixa atenderam a notícias corporativas. Na ponta de cima, Eletropaulo saltou 4,6 por cento, para 29,21 reais, depois de uma decisão do Supremo Tribunal Federal que deu à empresa o direito de restituir 194 milhões de reais em impostos pagos indevidamente.

No extremo oposto, Redecard mergulhou 6,9 por cento, para 23,90 reais, no dia em que a companhia confirmou que pediu à Comissão de Valores Mobiliários o registro para realizar uma oferta pública secundária de ações que pertencem ao Citibank.

(Edição de Eduardo Simões)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG